10 verdades para ensinar aos seus filhos que ninguém pode tocar seus corpos se eles não quiserem

Ensine-lhe que seu corpo pertence a ele e deixe-o saber que ninguém pode tocá-lo sem sua autorização.

CONTI outra

O abuso infantil é uma realidade que não deve ser ocultada. Estima-se que aproximadamente um quarto dos adultos sofreu abuso físico na infância, sendo que 1 em cada 5 mulheres e 1 em 13 homens foram vítimas de abuso [email protected] Esse problema pode passar despercebido porque, devido à vergonha ou à manipulação, as crianças não o revelam, mas isso não impedem que ele deixe marcas profundas no desenvolvimento psicológico das vítimas, tanto a curto como a longo prazo.

Por essa razão, é importante que os pais mantenham-se atentos aos sinais que revelam que seu filho pode estar sofrendo algum abuso. Também é essencial educar as crianças desde cedo para detectar esses tipos de situações e preveni-las. Obviamente, não é uma tarefa simples, mas existem algumas orientações que podem ajudá-lo a preparar seu filho.

Diretrizes para preparar seu filho para detectar e interromper o abuso infantil

  • Converse abertamente com o seu filho sobre o seu corpo. Ensine-lhe o nome de cada uma das suas partes e defina quais são as suas zonas íntimas, às quais só ele pode ter acesso. Se você achar difícil, poderá sempre usar vídeos online e livros infantis nos quais eles ensinam às crianças as partes do corpo com uma linguagem muito simples.
  • Ensine-lhe que seu corpo pertence a ele e deixe-o saber que ninguém pode tocá-lo sem sua autorização. É importante saber que, se você se sentir desconfortável porque alguém invade seu espaço, você tem o direito de dizer “não”. Neste caso, você também pode contar com histórias infantis que lidam com abuso [email protected] infantil.
  • Fale sobre o seu direito de recusar uma abordagem ou um beijo com o qual você se sinta desconfortável, mesmo que venha de uma pessoa próxima. Você deve aprender desde cedo que tem o direito de recusar as demonstrações de afeto de que não gosta.
    Nunca o force a beijar, abraçar ou sentar ao lado de alguém se ele não quiser. Dessa forma, você também ensina a ele que ele pode se recusar a expressar sua afeição por outra pessoa se não quiser.
  • Ajude-o a distinguir maneiras “boas” e “ruins” de tocar. É importante que você aprenda que um abraço ou beijo de uma pessoa conhecida em público é um sinal de afeição “positiva”, mas, em vez disso, essas mesmas manifestações afetivas em particular ou outras intimações mais íntimas podem ser inadequadas.
  • Explique a diferença entre os diferentes tipos de segredos: os segredos que são mantidos entre os amigos e os segredos desconfortáveis ​​que seria melhor não manter. Em tenra idade, é melhor ensiná-los que eles não devem ter segredos de seus pais.
    Deixe claro que nenhum adulto, especialmente se for um estranho, deve pedir ajuda para fazer algo sem a permissão dos pais. Deixe-o saber que a coisa mais comum é que os adultos peçam ajuda a outros adultos, então, se alguém o pedir para fazer algo que não quer, ele pode se recusar a fazê-lo.
  • Estabeleça quem são as pessoas em quem você pode confiar. É muito importante que a criança saiba a quem ele pode recorrer se estiver enfrentando alguma dificuldade ou tiver algum problema.
  • Conte a eles sobre o abuso [email protected] Quando seu filho é mais velho, você pode falar sobre esse assunto, sem assustá-lo ou recorrer a muitos detalhes. No entanto, mantê-lo longe desses problemas pode torná-lo mais vulnerável e incapaz de identificar os primeiros sinais de uma abordagem inadequada.
  • Sempre ouça-o e incite-o a falar com você. Desta forma, você estará construindo confiança, o que o ajudará a contar segredos que você considera “íntimos” e pedir ajuda se achar que está em uma situação de risco.

***

Artigo de Jennifer Delgado. Tradução feita pela CONTI outra, do original de Etapa Infantil

Precisa de ajuda? Conheça a nossa orientação psicológica.


COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.