Velas da liberdade, um projeto da Amnesty International Freedom

Por Nara Rúbia Ribeiro

Amnesty International Freedom apresenta o projeto Velas da Liberdade produzido por artistas de renome mundial. Cada vela destaca um crime contra a vida.

O Brasil nunca viveu o vexame de protagonizar cenas como a que abaixo transcrevemos pela voz do escritor francês Victor Hugo. Felizmente hoje a França se alia à defesa dos direitos humanos fundamentais.


“A última queima de feiticeiros em Guernesey foi em 1747, sendo teatro do
espetáculo a praça de Bordage, que, de 1565 a 1700, viu queimarem-se onze
feiticeiros. Em geral esses culpados confessavam seus crimes: eram para isso
ajudados pela tortura.
A praça Bordage prestou serviços à sociedade e à religião. Queimaram-se aí os
heréticos. No tempo de Maria Tudor, entre outros huguenotes, queimou-se uma
mãe e duas filhas: a mãe chamava-se Perrotine Massy. Uma das filhas estava
grávida e teve o sucesso sobre o braseiro.

“Arrebentou-lhe o ventre”. Saiu desse ventre um menino vivo; o
recém-nascido rolou na fogueira, um tal House apanhou-o. O bailio, Hélier
Grosselin, bom católico, mandou atirar a criança ao fogo.

+Saiba mais sobre o projeto e sobre como ajudar pelo site oficial do projeto.

Nara Rúbia Ribeiro: colunista CONTI outra

10375991_704688386255695_1410672344130654829_n

Escritora, advogada e professora universitária.
Administradora da página oficial do escritor moçambicano Mia Couto.
No Facebook: Escritos de Nara Rúbia Ribeiro
Mia Couto oficial

Você achou esse conteúdo relevante? Compartilhe!

COMPARTILHE
Nara Rúbia Ribeiro
Escritora, advogada e professora universitária.



COMENTÁRIOS