Valioso mesmo é o que não custa nada

Imagem de capa: Dmytro Zinkevych/shutterstock

Eu sei. Sei o quanto você trabalha pelo que tem. Reconheço seu esforço diário, seu merecimento por tudo quanto é seu. Valorizo as suas conquistas materiais. Todas elas. Admiro o cuidado com que você cuida do seu patrimônio, seu carro, sua casa, seus brinquedos de gente grande. Suas coisas. Mas, aqui pra nós, são só coisas. E por maior que seja seu valor financeiro ou sentimental, não valem mais do que aquilo que não custa nada.

Eu só acho que nenhum carro do ano vale mais do que pará-lo no farol vermelho e aceitar o folheto publicitário da moça que passa o dia lidando com cara feia, indiferença e vidro fechado. Não custa nada.

Toda casa se faz mais rica quando abre a porta na hora certa a quem precisa. Toda fortuna se multiplica se dividida. Todo amor se consolida quando se espalha em atitudes amorosas que valem tanto e não custam nada.

Ahh… como valem os gestos gentis! Olhares de afeto, sinais de compreensão, delicadezas à toa, essas coisas que a gente faz pelo bem do outro sem mais o quê. Valem tanto e também não custam nada!

Tratar os outros com respeito é de graça. E tudo que não custa nada vale mais que todo o dinheiro do mundo.

Sonhar é assim também. Não custa nada um sonhozinho bom aqui e ali. A gente sonha grande e muda o mundo devagar. Sonha com as pessoas cuidando umas das outras. Sonha com toda gente reaprendendo o valor grandioso das coisas que não custam nada. Sonha tanto que uma hora acontece.

Sei não. Mas eu acho que não custa nada pensar sobre isso.

COMPARTILHE
André J. Gomes
Jornalista de formação, publicitário de ofício, professor por desafio e escritor por amor à causa.


COMENTÁRIOS