Um bom amigo é o jeito mais bonito de Deus chegar até nós.

Era quase Páscoa. Um homem qualquer, em qualquer canto do mundo, franzindo a testa preocupada, os joelhos no chão e a cabeça na lua, pedia a Deus um auxílio prático: por conta de uma esparrela financeira, dessas que acometem toda gente uma vez e outra na vida, sua despensa andava tão vazia de tudo quanto o coração de um algoz carece de amor.

Na geladeira havia nada além de gelo e ar e luz. No armário, o último meio pacote de macarrão dizia “tchau” a uma prateleira triste. Em sua carteira havia nada. O carro que o levava de um trabalho a outro, que buscava seu filho na escola e que deixaria de ser seu se não pagasse a parcela seguinte, jazia em pane seca. O homem deu de ficar triste.

Então surgiu um bom amigo. Ele trouxe pão, cerveja e notícias da cidade grande. Depois vieram mais dois, um casal querido, e trouxeram pão de forma, leite, requeijão. Trouxeram maçã e banana, bolacha doce, bolo Santa Luzia. De meia dúzia de sacolinhas de plástico branco brotavam uma dúzia de ovos, macarrão e molho, açúcar e café, suco de caixinha e até chocolate, porque afinal estamos na Páscoa. Eles ficaram ali, falando da vida, do preço das coisas, rindo do que passava na TV, sonhando de tudo um pouco. E quando se foram, bêbados de sono e afeto, o homem foi dormir de coração feliz e barriga cheia.

Na manhã seguinte chegou outra amiga, doce como o carinho dos avós, e trouxe mais pão, macarrão, molho branco, barrinha de cereal e mais chocolate, porque afinal estamos na Páscoa. Trouxe um vinho para o almoço e um coração cheio de amor. Eles ficaram ali, cuidando da vida, tratando de arrumar o mundo a partir de sua casa. Ao sair, a boa amiga comprou um dos livros do homem a preço generoso e pronto: trouxe de novo à vida o carro que jazia sem combustível.

Assim chegou o domingo, ensolarado, sorrindo. A esperança tomou nos braços a cabeça cheia do homem e invadiu seu coração com força, num susto de amor e vontade, ardendo num desejo indefensável de gratidão e recomeço. Porque, afinal, estamos na Páscoa.

O homem se pôs de pé num salto. E se deu conta de que os amigos, ah, minha gente, os amigos são o jeito mais bonito de Deus chegar até seus filhos.

Feliz Páscoa!

COMPARTILHE
André J. Gomes
Jornalista de formação, publicitário de ofício, professor por desafio e escritor por amor à causa.



COMENTÁRIOS