Transtorno de ajustamento; quando a vida não coube em nós.

O Transtorno de ajustamento ou de adaptação é caracterizado pela alteração de sintomas depressivos e ansiosos. As reações são resultantes do impacto psicológico de um evento externo marcante e estressante ou de um evento catastrófico que altera drasticamente a vida do indivíduo de forma desagradável e duradouro, gerando sofrimento emocional e físico.

A nossa vida e o nosso caminho existencial nos levam a experimentar alegrias, tristezas, vitórias, derrotas, ilusões, desencantos… Um evento bom não existe sem um evento ruim, e assim nós vamos nos equilibrando, nos construindo e nos constituindo com as nossas características, que são únicas em cada indivíduo e é por isso que respondemos e nos adaptamos de forma diferente a cada coisa que nos acontece.

Toda vez que passarmos por um sofrimento emocional, precisaremos entrar em um movimento de adaptação para o enfrentamento da nova realidade que se apresenta, no intuito de trazer de volta o equilíbrio, o bem-estar e a qualidade de vida perdidos. Passamos toda a nossa vida em movimento físico e emocional. É como se mudássemos de tempos em tempos para novas residências e diante disso, tivéssemos que nos adaptar em casas melhores ou casas piores, reformando-as quando possível, ajustando-as ás nossas necessidades. Talvez por isso os indivíduos que passam a vida toda sem mudar de residência ou mesmo de cidade, por exemplo, acabam tendo menos repertório para aceitar e enfrentar as mudanças e são mais propensos a sofrer com os desajustes.

De acordo com a gravidade e intensidade dos eventos que acontecem, podem surgir desequilíbrios, que são vistos e sentidos através de respostas físicas e emocionais. Surge então a necessidade inevitável de um reposicionamento diante da vida, a partir de estratégias de enfrentamento eficazes, coerentes e adequadas àquela nova realidade e suas consequências. Quando não enfrentamos e superamos passamos a responder de maneira inadequada, surgindo então, os sintomas emocionais e físicos característicos do transtorno de adaptação.

Alguns traços de personalidade e fatores característicos do indivíduo adquiridos no ambiente onde vive contribuem para a ocorrência e agravamento do quadro adaptativo, visto que existem pessoas que são mais frágeis – mais sensíveis psicologicamente diante de eventos traumáticos e estressantes. Dessa forma, cada pessoa possui uma maneira particular de perceber e administrar mudanças, sejam elas desagradáveis ou não.

É necessário trabalhar a perda e o sofrimento emocional para que o transtorno de adaptação não se instale e evolua. E já que todos nós estamos sujeitos a mudanças e elas são uma constante em nossas vidas; é importante trabalharmos as possibilidades de reajuste que estão a nossa volta, sejam elas de perdas ou ganhos. Os transtornos de ajustamento e adaptação são muito bem tratados pela Psicoterapia Cognitivo Comportamental; na qual busca-se repertório de enfrentamento, o que ajuda muito na prevenção de novos traumas quando novos acontecimentos vierem – e eles virão, para todos nós. Quanto mais “ferramentas” tivermos na nossa “sacolinha”, melhor vamos nos sair na performance de “fazer limonadas” dos limões que a vida nos mandar.

 

COMPARTILHE
Viviane Battistella
Psicóloga, psicoterapeuta, especialista em comportamento humano. Escritora. Apaixonada por gente. Amante da música e da literatura...



COMENTÁRIOS