Tiago Silva, o capitão da seleção que sobreviveu a tuberculose

doença dos românticos esteve perto de acabar com uma das carreiras mais promissoras do futebol mundial. Thiago Silva sobreviveu ao duelo pessoal com a tuberculose para transformar-se num jogador de elite.

Aos 29 anos, Thiago Silva chegou no auge da carreira. Capitão da seleção brasileira, é considerado um dos melhores zagueiros do mundo, e após uma excelente passagem pelo Milan, foi negociado com o milionário PSG, da França, em 2012. Porém, o caminho do sucesso teve muitas pedras. Em entrevista exclusiva ao Esporte Espetacular, ele lembrou de quando foi rejeitado em peneiras de diversos clubes entre eles o próprio Fluminense, o Flamengo, o Botafogo, e até os modestos Madureira e Olaria. Mas o maior obstáculo aconteceu quando já era profissional, em 2005, na passagem pelo Dínamo Moscou, da Rússia. Após descobrir uma grave tuberculose, ele revelou o estado caótico do hospital em que ficou internado por cinco meses.

As condições eram precárias. Ficava num quartinho minúsculo, com um banheiro muito pequeno e uma geladeira. A minha cama ficava num cantinho, se eu sentasse nela poderia lavar a minha mão na pia diretamente, de tão pequeno que era. E o meu companheiro naquele momento foi o computador e o videogame. O vaso sanitário era no chão, na verdade não tinha vaso. O mesmo, na verdade aquele buraco que tinha no chão, descia a água do chuveiro quando eu tomava banho. Eu tinha que fazer todas as minhas necessidades ali. Quando eu olho para trás, vejo o quanto sofri para estar aqui hoje. Não foi fácil para mim.

O problema começou quando Thiago Silva estava no Porto, em Portugal. Na primeira chance no futebol europeu, em 2004, ele sentia dores no peito constantemente. Fez inúmeros exames e nada foi constatado. Após ser vendido para o Dínamo Moscou para ganhar o dobro do salário mesmo sem entrar em campo, o drama ficou ainda maior. No pior momento da vida, a mãe do zagueiro, Ângela, ficou em pânico quando viu o estado dele. Pior foi ouvir a sugestão do médico para tirar um pedaço do pulmão.

Queriam tirar um pedaço do pulmão dele. Eu falei que não, que no corpo do meu filho ninguém mexe. Pedi para mandar meu filho para casa, para o Brasil, mas pedaço dele não ia tirar assim – lembrou Ângela.

thiagosilva_reu_15
Thiago Silva comemora Fluminense (Foto: Reuters)

A reviravolta começou quando Ivo Worttmann, ex-treinador de Thiago Silva no Juventude, foi contratado para treinar o Dínamo Moscou. Assim que chegou, o comandante conseguiu um especialista, em Portugal, para tratar do zagueiro e curá-lo. Após o fim da doença, outra vez Ivo o ajudou. Em 2006, o técnico foi contratado pelo Fluminense e, logo depois, pediu a contratação de Thiago Silva, mesmo com os problemas de saúde recentes.

Eu estava correndo o risco de nunca mais jogar em função deles quererem fazer a cirurgia e tirar um pedaço do meu pulmão, que ainda não estava curado. Foi quando entrou uma pessoa importante para mim, o Ivo Worttmann, treinador, que me ajudou muito. Aí chegou em dezembro, ele foi para o Fluminense, e pediu a minha contratação. Para mim foi como se eu tivesse assinado o meu primeiro contrato. Para mim era um orgulho ainda maior, um orgulho a mais por ser tricolor.

Segundo sua esposa Isabelle da Silva, em entrevista para o Sport TV.

Para quem estava no hospital, ouviu que ele teria que operar e acabou ali. Vê hoje ele conquistar tudo isso, realizar o sonho de estar na Seleção como capitão, é inexplicável. É muito bom. Um gostinho de vitória sensacional.

Saiba mais:

Futebol Magazine

Sport TV

Esporte Espetacular

Gostou dessa história de superação? Compartilhe!

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS