Tá tudo bem em ficar triste

Olha, tá tudo bem em ficar triste. Às vezes junta tudo e bate aquela tristeza sem motivo. É normal. Ninguém precisa estampar felicidades o tempo inteiro, como se tivesse uma vida perfeita. De vez em quando, dói. Mas são momentos necessários para que tudo faça sentido, de alguma forma, para novos recomeços.

Algumas tristezas são aprendizados. São chances para que os sentimentos transbordem sem julgamentos. E essas emoções devem ser aproveitadas. Estancá-las é impedir a possibilidade de conhecer melhor a vida. Quem acha que não vale a pena está desperdiçando os próprios inteiros. Cada lágrima e cada instante de pessimismo são, no fundo, um grito silencioso de ajuda. É importante saber ouvir e compreender quem passa por ele.

Não há nada de errado em não enxergar sorrisos em dias nublados. O que é sentido, individualmente, abre espaços para tentativas de melhores condições ao coração. Pouco adianta fingir que nada acontece e que está tudo em ordem. Faz bem deixar a tristeza caminhar próxima da felicidade. Isso significa que ninguém vai se contentar com qualquer coisa. Que a felicidade, ainda mais desejada, terá um papel fundamental nas emoções seguintes.

Respeitar o tempo. Encontrar abrigo e empatia nas pessoas que estão disponíveis e dispostas a somarem contigo. Esse é o princípio maior de quem tem o dia alvejado por uma tristeza sem destino traçado. Não é pena. Não é solidão de uma alma só.

Sério, tá tudo bem em ficar triste. Às vezes não dá para controlar ou apenas dizer – vá embora. Ninguém precisa estampar força e coragem o tempo inteiro, como se tivesse uma proteção contra metades ruins. De vez em quando, dói muito mesmo. Mas são momentos necessários para que tudo faça sentido, de alguma forma, para você não desistir de continuar.

Imagem de capa: tommaso79, Shutterstock

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Guilherme Moreira Jr.
"Cidadão do mundo com raízes no Rio de Janeiro"

COMENTÁRIOS