Sou África…um poema de Énia Lipanga

sou África…

de olhos brancos
Que sente nos poros
A nascença da humanidade
Vidas do transacto tempo
Que nascem do rio da minha respiração
África sou
Meu pretérito ferido pela escravidão
Meus olhos com sonhos da imensidão
Outrora fustigada pela solidão
Sólida hoje, viva na vida dos meus filhos
África rasgada em lágrimas na então esfera
Renascida e cheia de esperança
Em meu ventre…
frutos da minha perseverança
Sou mãe…
pois ofereço a atmosfera
Bela e cheia de corres da natureza
Colorida de águas, banhada de infância
África de bela beleza
Sou África

Énia Stela Lipanga

Nota da CONTIoutra: O poema acima foi reproduzido com a autorização da autora.

10960191_1616304491939160_400748014710744921_o

Énia Lipanga

11015937_1624523844450558_4846765189252912652_nÉnia Lipanga é uma repórter, editora e poetisa moçambicana que começou a escrever há sensivelmente 10 anos, sendo que profissionalmente há oito. Com duas obras escritas, nomeadamente, “Orgia no Mercado Janete” e “Vida de Moçambique, que pretende lançar no ano em curso, 2015.
Enia Lipanga no Facebook

Você achou esse conteúdo relevante? Compartilhe!

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS