Sobre a psicologia das mulheres- Flávio Gikovate

“Um fato curioso da psicologia de certas mulheres é a tendência a se adequar aos gostos, valores e interesses daquele por quem se apaixonam.

A tendência a se manter com pouca identidade para melhor se adaptar ao parceiro conjugal deve ter sido parte da formação feminina do passado.

Quando se dançava junto, a moça “leve”, a que acompanhava com facilidade os passos do rapaz, era muito valorizada: era sinal de feminilidade.

Os tempos são outros e a expectativa nos relacionamentos afetivos é mais de parceria do que de submissão; a busca é de efetivas afinidades.

Muitas moças, talvez sob o impacto de uma formação tradicional, podem simular afinidades que não possuem: estão só agindo como antigamente.

Quando a conduta da moça é apenas simulação, com o passar dos meses ela vai resgatando sua verdadeira identidade e isso pode gerar conflito.

Os moços costumam se sentir enganados, traídos mesmo: se encantaram por quem parecia tão fácil e dócil e que depois se mostra bem diferente.

Os conflitos e tensões próprios dos elos atuais derivam desse período de transição que vivemos: o velho e o novo coabitam em nossas mentes!”

Flávio Gikovate

Imagem de capa: chombosan/shutterstock

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.

COMENTÁRIOS