Série fotográfica mostra os sorrisos escondidos no rosto das pessoas

Há alguns anos, o fotógrafo francês Réhahn viajou para o Vietnã com o propósito de registrar a cultura desaparecida das minorias étnicas do país. Para isso, ele tirou belas fotografias de pessoas escondendo seus sorrisos e, em seguida, documentou-as numa série chamada Hidden Smiles.

Durante viagem pelo Vietnã, Réhahn percebeu que, muitas vezes, as pessoas locais têm o hábito de cobrir a boca quando olham para a câmera, tímidas perante a situação. Embora os sorrisos sejam escondidos pelas mãos das pessoas, suas feições radiantes não passam despercebidas; na verdade, transmitem uma cena reconfortante.

As fotografias de Réhahn revelam uma energia oclusa por trás dos sorrisos envergonhados das pessoas. O francês espera que essas fotos ajudem a inspirar felicidade nos outros. Até agora, ele tirou mais de 40.000 fotografias como parte de seu projeto, e conquistou a admiração de muitos personagens interessantes.

Em entrevista para o jornal inglês Daily Mail, o fotógrafo disse:

“Eu acho que uma boa fotografia acontece quando você consegue capturar a alma e ler uma história nos olhos das pessoas. Mas capturar emoção não é uma coisa fácil. O tempo é a chave.”

Desde a publicação de um livro em janeiro de 2014, Réhahn ganhou bastante reconhecimento. O fotógrafo tem sido destaque em vários jornais e revistas internacionais, e já ganhou mais de 430.000 fãs em sua página no Facebook.

Veja os belos sorrisos escondidos do projeto Hidden Smiles:

hiddensmiles_b

hiddensmiles_g

hiddensmiles_i

hiddensmiles_e

hiddensmiles_l hiddensmiles_k hiddensmiles_j

hiddensmiles_f hiddensmiles_c 43_hiddensmiles_h

hiddensmiles_d

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Eduardo Ruano
Profissional de pesquisa e texto. Eu me considero uma pessoa racional, analítica, curiosa, imaginativa e ansiosa. Gosto de ler, escrever, ouvir Thrash Metal e música eletrônica, assistir filmes e séries, beber e viajar com os amigos. Estudioso de filosofia, arte e psicologia. Odeio burocracias, formalismos e convenções. Amo pessoas excêntricas, autênticas e um pouco loucas, até certo ponto. Estou sempre buscando novas inspirações para transformar ideias em palavras.

COMENTÁRIOS