Se levarmos tudo para o lado pessoal, viveremos eternamente ofendidos

Existem aqueles que vivem ofendidos. Longe de se permitirem levar uma existência em sintonia com o próximo, com respeito e harmonia, optam por “bater a cabeça no muro” quase a todo momento.

O mundo talvez tenha confabulado para agir contra nós? De modo algum. O que ocorre é que, neste sutil porém complexo mundo das emoções e das personalidades, existem aqueles que fazem da ofensa um hábito constante.

Longe de ver estas pessoas como focos problemáticos a serem evitados, é necessário entender o que acontece em seu interior.

A hipersensibilidade, a baixa autoestima e a falta de recursos psicológicos faz com que seus esquemas de pensamento sejam muito duros.

Qualquer palavra, gesto ou ação é interpretado como uma ofensa. E está aí a essência do problema. A autoestima baixa coloca problemas onde não existe um. Enxerga ódio onde não existe.

Personalidades que enxergam tormentas quando somente existe a luz do sol. Convidamos a todos a refletir sobre o assunto.

Vivemos ofendidos 24 horas por dias, 7 dias por semana

“É que com você não se pode conversar”. “Você se ofende por nada”. “Você que é impossível, você vai de mal a pior”.

Se em algum momento lhe disseram estas frases, é bem possível que também não tenham gostado de você. No entanto, por trás destas verbalizações se esconde uma realidade.

  • Se aqueles que nos rodeiam possuem problemas para interagir conosco, algo acontece. Se não estão cômodos, se não existe harmonia na comunicação nem o cuidado, é necessário descobrir o porquê.
  • Longe de pensar que “todos que me rodeiam me odeiam”, é necessário mergulhar em uma reflexão profunda e delicada.
  • Devemos retirar cada camada desta cebola que nos envolve para saber o que está em nosso interior.
    A seguir, vamos descobrir o que ocorre com aqueles que se sentem eternamente ofendidos.

Ninguém te ofende, são suas expectativas

É provável que sejam suas altíssimas expectativas que não se ajustam à realidade. De certo modo, todos nós temos uma ideia do que os outros devem fazer. Sobre como deveriam nos tratar e como deveriam reagir diante de certas coisas.

Em primeiro lugar, que fique claro que estes focos citados não são totalmente adequados. Veja o porquê.

  • A única coisa que devemos ter em mente é como queremos que os outros nos tratem. Merecemos respeito e devemos exigi-lo. É uma necessidade pessoal que todos têm.
  • Agora, o que o restante faz, deixa de fazer ou decide não é competência nossa. Cada pessoa é livre para decidir o que deseja e agir como quer, sempre que exija respeito.
    Se ficarmos obcecados se nosso namorado(a) se comporta de tal modo, se nossos amigos fazem isso e aquilo, não nos sentiremos bem.
  • Para avançar com mais tranquilidade e equilíbrio interno, lembre-se de algo: não espere nada de ninguém, espere tudo de si mesmo.

O mundo não está contra você: é você que deve se harmonizar com o mundo

Quem vive eternamente ofendido é como uma pedra ou como um tronco de carvalho. Para compreender isso, tente visualizar o seguinte:

  • Imagine que você é uma árvore diante de um oceano. As águas vêm e vão, o vento às vezes é suave, às vezes intenso. Em certos momentos este oceano te acaricia, mas em outros te golpeia com seus dias de tormenta.
  • Agora, se você é uma árvore grande e firme, esse oceano, suas ondas e os elementos acabaram te derrubando. Em um cenário assim, todo firme, tudo o que aparenta obstinação acaba no chão.
  • No entanto, se é como o ramo flexível do bambu, dançará com o vento e nem a tormenta mais feroz te fará cair. Porque você se adapta, porque não é como uma parede que recebe cada golpe.

Viver eternamente ofendido é propiciar a chegada de mais danos. No entanto, os culpados somos nós.

  • Quem se ofende por nada gera desconfiança.
  • Se você vive sempre ofendido, seus entes queridos deixarão de se sentir bem ao seu lado e se afastarão.
  • Se você somente enxerga ofensas quando te oferecem palavras amáveis, criará distância.

Ame-se um pouco mais e pare o ruído de seus pensamentos obsessivos

O mundo não te odeia. Ninguém está contra você. Não acumule ofensas onde não existem, nem veja atos que nunca tiveram a intenção de lhe fazer mal.

  • Quem não gosta de si mesmo se torna exigente com os demais. Espera, acima de tudo, que o resto lhe ofereça aquilo que ele mesmo não se dá: amor, reconhecimento, respeito.
  • Se não começarmos a trabalhar com o interior projetaremos nossos abismos mais obscuros para fora, até que pouco a pouco, toda a nossa realidade se converte em um inferno.

Não vale a pena. Diga não ao sofrimento inútil e não apague mais incêndios com gasolina. Comece reparando suas feridas e ofereça a si mesmo o amor de que precisa.

Somente quando queremos o suficiente, o mundo começa a avançar de outro modo muito melhor.

Imagem de capa:  Nasgul/shutterstock

VIAMelhor com Saúde
COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos.

COMENTÁRIOS