Quero um amor assim…

Querido Universo,

“Quero um amor assim…

Em primeiro lugar, tem que ser exatamente assim: amor! Não quero apenas desejo ou paixão. Quero tudo junto e misturado. E mais: também tem que ser parceiro. Quero alguém que num instante tope uma boa balada e no outro, um fim de semana pacato. Alguém que leia e acima de tudo, alguém que me leia. Me leia os olhos, as “entre linhas”, a pele e a alma.

Quero um amor que tenha vida própria, que seja independente e tenha sua individualidade. Alguém seguro e que não enche o “saco”. Quero um amor que tenha ciúmes sim, mas só de vez em quando.

Quero um amor parecido comigo, com afinidades. Quero alguém que me entenda pelo olhar. E que, quando necessário, me acalme com seu tom de voz.

Quero um amor que tenha “pegada”. Que conheça a diferença entre os momentos de um toque e os de força bruta. Quero um amor que beije, que acaricie e que abrace. Quero um amor que não se esconda, que tenha orgulho. Quero alguém que escancare o que sente e o que vive.

Quero um amor de alma transparente, alguém que sabe o que quer. Quero um amor positivo. Alguém que reconheça a energia e poder dos pensamentos.

Quero alguém que sonhe. E alguém capaz de me fazer sonhar, mas que nunca se esqueça de seus próprios sonhos.

Quero um amor bonito, atraente de corpo e alma. Um alguém que me atraia com os olhos e com as palavras. Quero um amor que tenha atitudes e caráter irresistíveis.

Quero um amor que chegue e que fique. Um amor tranquilo. Mas quero um amor quente. Um amor que dure.

Quero um amor maduro, vivido. Quero alguém sensível, capaz de me entender mesmo quando eu não não possuir aptidão para isso.

Quero um amor que tenha palavras, mas que também tenha o silêncio nas horas necessárias.

Quero alguém que viaje, converse, analise e sinta tudo ao seu redor.

Quero alguem que goste da vida, das pessoas, da natureza e dos animais. Quero alguém que tenha amor e saiba amar sem julgamentos.

Quero um amor para dormir, acordar e comer comigo. Mas também um amor que saiba me deixar sozinha. Alguém para sentir saudade.

Quero um amor de alma e depois de corpo.

Quero um amor pra chamar de amor.

E entenda, querido Universo: meu desejo é uma ordem!”.

COMPARTILHE
Carolina Vila Nova é brasileira. Tem cidadania alemã, 40 anos. Escritora e Roteirista. É autora dos seguintes livros: “Minha vida na Alemanha” (Autobiografia), “A dor de Joana” (Romance), “Carolina nua” (Crônicas), “Carolina nua outra vez” (Crônicas), “Vamos vida, me surpreenda!” (Crônicas), “As várias mortes de Amanda” (Romance), “O dia em que os gatos andaram de avião” (Infantil), “O milagre da vida” (Crônicas) e "O beijo que dei em meu pai" (Crônicas). "Nosso Alzheimer." (Romance), Disponíveis na Amazon.com e Amazon.com.br



COMENTÁRIOS