Quando o inverno chegar, alguém há de me trazer calor.

Bem-vinda, pessoa amada. Entra que o inverno chegou agorinha num convite carinhoso. Veio ventando seu hálito de gelo que nos faz respirar mais perto um do outro, agasalhados de nós mesmos, trocando calor e lembranças e sonhos simples nas baixas temperaturas, enquanto a noite vai alta lá fora.

Vem pela porta da frente com todas as honras, como alguém que retorna intocado de uma viagem espacial, uma guerra, uma temporada na prisão por um crime que não cometeu.

Pode chegar, entra que aqui faz frio e há tanta saudade cortante esperando o calor dos abraços de longa duração. Vem que a temperatura caiu e a previsão do tempo diz que amanhã vai fazer amor. Vem.

Caminha por estes cômodos com liberdade, como as canções de alegria que tornam a vida mais leve. Povoa de riso e de choro esse canto do mundo carecido de beleza e de sentido. Vem com a força da vida que arrebenta o asfalto frio sob a forma de plantas se esticando para o céu.

Vem que a vida é tão breve e nós já passamos da idade de perder tempo acolhendo opiniões alheias investidas de fúria e sanha de posse e destruição, feito cupins que nos corroem e enfraquecem por dentro. Vem que é tempo de sermos fortes para o caminho que nos espera. Essa estrada que nos convida a seguir adiante. Juntos até onde Deus nos permita e o amor nos acompanhe.

Bem-vinda a esta casa e a esta vida. Bem-vinda, pessoa amada. Bem-vinda.

Imagem de capa:  Wedding photograph/shutterstock

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS





André J. Gomes
Jornalista de formação, publicitário de ofício, professor por desafio e escritor por amor à causa.

COMENTÁRIOS