Quando o domingo chegar

Acorde mais cedo, faça uma prece, beije quem mora com você
e caso more sozinho, procure sentir a presença de Deus.
Depois, prepare um lanche bem gostoso e saudável.
Cuide de seu bichinho de estimação – caso tenha, regue com muito amor suas plantinhas, cumprimente o vizinho – mesmo que ele não seja dono de uma grande simpatia.
Calçe as meias, o tênis, coloque uma roupa bem verão e dê uma caminhada.
Não importa se essa sua caminhada dure 10, 20 ou 40 minutos, mas que seja
o tempo suficiente para você estar com você!
Quando estiver caminhando, não pense nos compromissos que terá na segunda-feira, não pense em suas dívidas, não fique remoendo dúvidas,
esqueça a dor, a(s) perda(s) , a doença… esqueça tudo e vá!
Respire fundo, levante a cabeça, olhe a beleza do céu – da cor do mar…
repare que algumas nuvens, se fixarmos o olhar nelas, formam lindos desenhos…
Procure admirar uma flor, mesmo a mais simples, até aquelas que chamamos de sem-vergonha (porque nascem em qualquer lugar), mas elas sempre saúdam um novo dia …
Sinta o vento batendo em seu rosto e o seu coração aberto às emoções da vida.
Contemple as árvores, os passarinhos,
e também, as outras pessoas que passarem por você. Elas também estão lutando para ser felizes – todos estamos!
E volte refeito,
na certeza de que a cadência da vida quem faz é você!

Lu Prado (Vitória – ES)

COMPARTILHE
Lu Prado
Natural de Vitória (ES), não se considera uma escritora nem poetisa, no sentido técnico dessas artes. Escreve porque nasceu com esse dom: - o de escrever (à sua maneira) o cotidiano. Aposentada do Serviço Público Estadual - Área da Educação. Segundo ela, "escreve para acalmar seu coração"



COMENTÁRIOS