Quando formos velhinhos, vou te falar: “Não te disse que eras o amor da minha vida?”

Amor é combustível de vida, é consolo certo na hora exata, é repouso, guarida, cura. Olhar fundo nos olhos de quem retribui amor transparente nos apaziguará as ventanias emocionais que costumam nos devastar vida afora.

Alguns dizem ser o amor uma loteria, outros acreditam que certamente irão encontrar o amor de suas vidas, enquanto há até quem já desistiu do amor. Em meio a todos eles, conseguimos, felizmente, conhecer casais que resistem ao tempo, amando-se até o último suspiro, resistindo e fazendo o amor dar certo. Como se trata de sentimento, é muito difícil precisar as dimensões amorosas em teorias racionais, porém, ninguém nega que amar e ser amado é bom demais.

Embora seja perfeitamente possível ser feliz sozinho, sem um parceiro, contando somente consigo mesmo, a verdade é que poder ter alguém com quem compartilhar intimidade, dor e alegria, deixa tudo mais leve, mais fácil de ser enfrentado. Ainda que muitas tempestades tenhamos que atravessar sozinhos, pois se tratarão de lutas que travaremos com o que nós próprios construímos, dar as mãos a alguém que torce por nós acabará nos fortalecendo em todos os sentidos.

Sempre respiraremos mais tranquilos quando amor estiver envolvido em nossa travessia, seja uma amizade verdadeira, um apoio familiar, seja que tipo de amor for, desde que seja correspondido, sincero, recíproco. Amor é combustível de vida, é consolo certo na hora exata, é repouso, guarida, cura. Olhar fundo nos olhos de quem retribui amor transparente nos apaziguará as ventanias emocionais que costumam nos devastar vida afora.

Uma das melhores sensações que temos é a de que encontramos o amor de nossas vidas, nossa alma gêmea, a pessoa com quem queremos passar por tudo o que temos à frente. Aquele sentimento que não vem de repente, mas que é construído, lapidado, por entre suor, risos e lágrimas, através de estradas nem sempre calmas, de escuridões muitas vezes demoradas. E amor não é sempre fácil e gostoso, ele também traz barulho e travessias ásperas.

Quando a gente luta pelo amor, por manter junto o que tanto bem faz, por continuar tentando enquanto ainda há sentimento, enquanto ainda não tivermos perdido nossa dignidade, ele é capaz de reacender, de levantar-se, de nos tomar novamente a imensidão dos nossos sonhos. Porque o que é verdadeiro resiste, persiste, mesmo alquebrado, ainda que machucado, embora muitas vezes a gente teime em expulsar de nossas vidas o que e quem jamais deveríamos. O importante é que nenhuma dúvida é mais forte do que a certeza que o amor guarda dentro de si. A certeza de que valerá a pena continuar.

O amor verdadeiro poderá não cair do céu, nem aparecer sem ser procurado, tampouco será o primeiro ou o segundo que chegar às nossas vidas, mas será aquele que virá para ficar, demorando-se suavemente, às vezes com certa relutância, mas será o melhor, o maior, o mais especial de todos, e teremos, então, a certeza de que ali existirá verdade e volta certeira. E será infinitamente duradouro, porque ficará conosco, dando-nos as mãos, até que elas enruguem, porque se alimentará nada menos do que somos aqui dentro de nós.

Imagem de capa: Kristo-Gothard Hunor/shutterstock

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Marcel Camargo

“Escrever é como compartilhar olhares, tão vital quanto respirar”.

É colunista da CONTI outra desde outubro de 2015.


COMENTÁRIOS