Prazer, eu sou o EGO

Imagem: Reprodução

Aquela imagem de ser especial, aqueles desejos intermináveis que nos cercam, as necessidades de atenção e carinho, as metas para nos tornarmos melhores. Ego - uma palavra tão pequena para algo que toma um espaço tão grande em nós, não é mesmo? É essa a face que nos constrói. Todo o nosso passado o sustenta, todo o nosso presente o alimenta e todo o nosso futuro o desenvolve. Prazer, esse é o EGO.

Podemos dizer que, a todo momento, estamos o exercitando, seja ao nos elevar ou ao nos diminuir. Levamos o ego à academia  –  dos relacionamentos, do trabalho, da família, de toda a nossa vida  –  e, no final, ele sai fortalecido, achando que é tudo o que somos.

Ele domina nossas falas, nossos pensamentos, nossos sentimentos, nossas emoções, nosso corpo, nossos relacionamentos, nossas aparências e tudo mais no entorno. O ego é aquele pecado original, é aquele conhecido, como o bem e o mal, como ignorante, como instinto animal. Ele possui várias faces: pode ser o bom, pode ser o mau; pode ser o inteligente, pode ser o burro; pode ser o rico, pode ser o pobre; pode ser a alegria, pode ser a tristeza  –  ele está em todos esses adjetivos e formatos.

Perceba que o ego trabalha com opostos: ele traz a dor e a alegria, o desejo (a falta) e a sua satisfação, o belo e o feio, a vítima e o vilão. Todos esses opostos são complementares, sendo um o contraste do outro. Ele no mostra a tristeza, por também nos mostrar a alegria; a escassez, por mostrar a fartura; o conflito, por mostrar a sensação de paz.

O EGO TRABALHA COM OPOSTOS, COMO UMA MOEDA QUE, UMA HORA É CARA E NA OUTRA É COROA. UMA HORA É ALEGRIA, em OUTRA É TRISTEZA. UMA HORA É CONFLITO, na OUTRA É PRAZER.

Esse não é um fato novo: todas as religiões ou buscam domar/enjaular o ego, ou matá-lo. Todas as escrituras, testamentos, livros e canções (guita) procuram nos comunicar a verdade, seja por leis morais ou porconhecimento.

Nessa vida, o ego deve ser investigado e conhecido.

É necessário reconhecer onde está o seu ego nesse momento. Sobre quais objetos, pessoas, palavras ou locais ele está lhe indicando para pensar agora.

QUE DESEJO VOCÊ ESTÁ TENTANDO OBTER? QUE NECESSIDADE QUER SATISFAZER?

O ego joga sujo, inventa a perfeição só para você fazer de tudo para alcançá-la. Ele cria a tristeza e promete a felicidade na satisfação do desejo, só para você desejar mais e mais. Ele cria uma autoimagem, só para você fazer de tudo para preservá-la e melhorá-la. Ele inventa conflitos, para você se agitar e buscar paz em algum objeto, pessoa ou lugar.

Ele quer técnicas, práticas, cultos, rituais, curas, cursos, trabalhos, relacionamentos, entorpecentes, filosofias, novidades, livros, filmes, sexo e compras, para acabar com ou minimizar qualquer insatisfação. Ele cria a doença e a sua cura no mundo exterior.

Ele não gosta de olhar para dentro; na verdade, ele não suporta o silêncio. Ele não gosta de se sentir sozinho, por achar que só algo lá fora pode satisfazê-lo. Ele evita uma paz e uma felicidade suprema, a ponto de garantir a si mesmo que é impossível isso existir.

Bem isso tudo é o ego. Mas, e o que não é o ego?

QUEM É VOCÊ? QUEM É VOCÊ SEM ESSA MÁSCARA (PERSONA=PESSOA) DO EGO? O QUE É ISSO QUE É VOCÊ?

A partir do momento em que investigamos e conhecemos melhor o funcionamento do ego, uma porta se abre para o testemunho. O testemunho do que está acontecendo agora, do que se passa dentro de nós. Perceba que, dentro, também, é só um conceito e não necessariamente temos esse limite.

Que pensamentos estão aí? Você está onde agora? Está no passado, futuro ou no presente? O que o ego está tentando fazer? Que imagens ele lhe mostra? que conflitos ele cria? Quem ele diz que é você?

Investigue o que é o ego e como ele funciona. Veja quais são os seus moldes, os seus padrões, as suas heranças. Investigue, também, o que não é ele. Sem o ego e sem o corpo, o que sobra? Essa pergunta é o amor, que desperta, que traz consciência.

FELIZ DAQUELE QUE SUPEROU O EGO (BUDA)

“Um homem disse a Buda:

– EU QUERO felicidade.

Buda respondeu:

– Primeiro retire o EU, que é a sua imagem e vem do seu ego. Depois, retire QUERO, que é seu desejo e também vem do ego. Pronto, agora você é deixado com a felicidade, o que você realmente é.”

Namastê!

Virgilio

COMPARTILHE
Virgilio Magalde
Engenheiro de Formação, que largou o mundo corporativo para seguir o sonho de ser professor na área. Filósofo, escritor e poeta de coração. Atualmente desenvolvendo o hábito de ser blogueiro. Possui formação em coaching e se interessa sobre assuntos de desenvolvimento pessoal, relacionamentos, meditação, espiritualidade e demais explicações sobre o que vemos e sentimos.

RECOMENDAMOS




COMENTÁRIOS