Os cães falam, você consegue interpretar?

Entender sobre os instintos do seu cão requer a aplicação de disciplina, exercícios e afeto. Sim, necessariamente nesta ordem. O significado de trabalho, direcionamento e regras na linguagem canina deve ser levado muito a sério, pois se trata de memória genética. Cada raça desenvolvida tinha ou ainda carrega funções específicas para se manter equilibrada. Colocar o cão para trabalhar, ditar as regras que deve seguir e direcioná-lo através delas, é o que motiva o animal e o harmoniza.

Vamos entender melhor.

Quando nasce um cãozinho, desde o primeiro momento de vida, ele luta para sobreviver entre os irmãos. Empurram os mais fracos para mamar primeiro e escolhem a mama mais cheia para se alimentarem. Essas pequenas e aparentemente insignificantes atitudes, moldam e podem determinar como vai ser a personalidade desses pequenos quando adultos. Aqueles 45 dias, 60 ou 90 dias que passam convivendo com mamãe e irmãos são fundamentais para estabelecer a autoconfiança e a hierarquia. Aprendem a não morder com tanta força, a não mendigar o alimento, a brincar com mais suavidade. Caso contrário serão repreendidos com uma mordida mais forte encerrando a brincadeira. Quando esses filhotes deixam a ninhada, já estão acostumados naturalmente a obedecer limites, isso é inconsciente e natural. Além dessas regras que precisam de continuidade, cada animal carrega em sua linhagem um instinto diferenciado (digo sobre raças específicas e não o instinto cão/lobo), mesmo se tratando de um “Sem Raça Definida”, pois sabemos que todos os vira latinhas vieram de raças misturadas. Ao chegar em sua matilha humana (é assim que os cães nos enxergam ), precisamos impor essas barreiras, manter o fluxo e o ciclo. Restringir os ambientes que eles não podem ter acesso, ganhar carinho só depois de obedecer um comando qualquer, não reforçar pulos e mordidas inconvenientes e nem permitir o ato de montar na perna, que aliás é visto por muitos como cópula mas que pode ser também um indício de dominância sobre o outro. Evitar dormir com o cãozinho, ou ele vai se apoderar da cama: líder come primeiro, dorme no melhor lugar e de preferência sozinho. Já vi casos em que casais dormem separados por conta de um cão possessivo e mimado demais. Comer e passear em horários fixos, ter o próprio brinquedo e até ganhar um carinho mais caloroso deve ser encarado como uma tarefa. Nós pensamos que isso tudo é bobagem, mas não é. Tudo para um cão tem um motivo de ser, uma vantagem e a lei de ação e reação. Se correm com uma bolinha na boca esperando que corram atrás deles, não significa somente uma brincadeira inocente, podem estar testando a esperteza do dono, seus instintos de busca e de intimidação para resgatar o objeto. É hora de começar a estipular rotinas para esses peludos em casa e perceber os resultados. Por isso é tão importante que se evite a humanização. Cães são animais que seguem limites e regras com uma naturalidade incrível. Respeite o equilíbrio da essência animal do seu amigo de quatro patas e descubra o que ele pode fazer por você.

Imagem de capa:

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Júlia Guglinski

Treinadora e comportamentalista de cães. Atriz de teatro, cantora e compositora.


COMENTÁRIOS