O tempo só cura o que você decidiu esquecer

Imagem de capa: Dmitry A/shutterstock

Prega-se como verdade absoluta que o tempo cura tudo, mas isso é uma grande inverdade. O tempo ajuda no processo de amadurecimento, na aquisição do conhecimento empírico, na sabedoria espiritual e só. Nas outras questões, ou você age ou o tempo age contra você. Shakespeare afirmava que “um dia você descobre que se leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer ser e que, o tempo, é curto”.

Tudo começa no cérebro, no poder da decisão, na vontade própria. É na mente que começa sua cura, sua libertação e não no passar dos dias. Essa história de que “o tempo cura tudo” é para quem não tem peito para enfrentar a própria dor e joga, no mundo, a resolução dos seus problemas. Martha Medeiros afirma que “o tempo não cura tudo. Aliás, o tempo não cura nada, o tempo apenas tira o incurável do centro das atenções”. Resumindo: não é o tempo que cura as coisas é o seu poder de decisão em decidir se curar.

Pode ser um antigo relacionamento amoroso, um trabalho desgastante ou qualquer outra coisa que seja mais uma tortura psicológica do que um crescimento pessoal. Enquanto sua posição for cômoda e medrosa, você permanecerá sob stress. Desculpe a sinceridade, mas você é formado pelo silêncio que faz e pelas situações que aceita.

Se você se cala diante de uma injustiça, você está compactuando com aquilo, mesmo que de forma passiva. Se você aceita seu trabalho desgastante e não procura se especializar em outra área, fazer uma outra faculdade ou procurar um outro emprego, que te valorize como profissional, você merece estar onde está (e não estamos falando de salário aqui. Pode ser que um salário menor, em um outro lugar, te faça mais feliz do que um salário de milhões). Se você aceita esse relacionamento abusivo e acha normal, você está com a pessoa que merece. Somos o que permitimos ser!

O comodismo e o medo são os grandes responsáveis por fazer pessoas incríveis, permanecerem em situações frustradas. Eles usam de bens materiais, solidão e prestígio social para fazer com que pessoas inteligentíssimas permaneçam em stand by dos seus sonhos. Até o dia em que não dá mais tempo de realizar grandes coisas.

O relacionamento não está como gostaria? Converse. Não adiantou, termine. O medo em ficar só não pode ser maior que o amor próprio. E se doer? Não camufle sua dor. Deixe que ela te dilacere e te faça chorar muito. Isso alivia a alma e mostra que seu coração ainda pulsa pelo essencial. Mas, permita-se sofrer uma vez só! Lembre-se que a cura começa de dentro para fora.

O trabalho é mais stress do que reconhecimento? Fique até encontrar um melhor. Estude, preste concursos públicos, queira crescer em sua carreira. Entenda, por favor, que não é tempo que fará sua vida melhorar, é a sua disposição em fazer isso. Sêneca, em sua grande sabedoria, tratava o tempo como algo transitório: “ninguém se preocupa em ter uma vida virtuosa, mas apenas com quanto tempo poderá viver. Todos podem viver bem, mas ninguém tem o poder de viver muito”.

Não adianta você ter o carro do ano, trabalhar de frente para a praia e viajar com seu parceiro todo mês, se nenhuma dessas coisas te traz paz. Enquanto não resolvemos dentro de nós as situações que nos incomodam, nada ficará bem.

Você precisa acreditar que é capaz de fazer mais do que está acostumado. Precisa voltar a acreditar no amor, nas pessoas, no próprio valor. Precisa entender que quem manda no dinheiro é você e não o contrário. Precisa caminhar além do que seus pés aguentam. Você é mais! Você pode mais! Faça suas conquistas hoje e esqueça quanto tempo lhe resta. Até porque, o tempo irá passar de qualquer jeito.

Planta precisa de tempo para crescer, e o estudante precisa de tempo para se formar, um bebê precisa de tempo para nascer. Você só precisa de uma decisão: querer ser curado!

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS





Pamela Camocardi
A literatura vista por vários ângulos e apresentada de forma bem diferente.

COMENTÁRIOS