O poder de um momento

Você já parou para pensar no poder que pode existir em um único momento? Nem que seja de apenas um segundo? O sorriso dado na hora certa, bem como o abraço, o aperto de mão, ou ainda um único olhar?

No filme “Tempo de Despertar” (1990) vemos a história real de um médico e seus pacientes com encefalite letárgica, internados num hospital psiquiátrico. O enredo verídico se passa no ano de 1969 em Nova Iorque. O médico neurologista Malcolm Sayer não encara seus pacientes como a maioria. Com o tempo Sayer estuda seus pacientes e convence o hospital a testar uma nova droga para Mal de Parkinson nos doentes. O resultado é que todos os pacientes acordam de um estado quase que vegetativo para a vida. Durante algum tempo eles voltaram a ter uma vida normal, até que efeitos colaterais perigosos da medicação começaram a surgir.

A medicação foi interrompida e os pacientes voltaram aos poucos a ficar catatônicos. O filme mostra a trajetória do médico até este ponto, mas se sabe que outras drogas foram testadas e outros momentos de despertar dos pacientes aconteceram, mas nenhum como o de 1969.

O filme é belíssimo e imperdível. Por se tratar de uma história real, nos mostra o poder do olhar verdadeiro de um ser humano a outros. Tantos médicos e enfermeiras havia naquele hospital e tantos tinham passado por ali. E foi preciso um, com o olhar atento e amoroso para transformar tantas vidas que ali não tinham valor.

O paciente mais importante, Leonard, representado por Robert Deniro, era um homem que estava em estado catatônico há trinta anos. Ao despertar, ele ajuda o médico a descrever e registrar seus momentos quando doente. Ele aceita passar pelos testes de tratamento, mesmo com os terríveis efeitos colaterais.

A interpretação de Deniro é a melhor que eu já vi. E numa das mais comoventes cenas do filme, Leonard se despede de uma jovem, pela qual se apaixonara após o seu breve despertar. Neste momento, cheio de tiques e espasmos musculares, ele se envergonha, afirmando que não mais se veriam. Após o paciente se levantar, a jovem aproxima seu corpo e se encaixa no ator de forma a dançar lentamente com ele. Os espasmos e tiques diminuem até desaparecerem por completo.

A cena representa um pequeno momento de paz, de cura para um doente que passava o dia se contorcendo. Um instante de despedida, de amor e de vergonha, torna-se um momento de redenção, de compaixão e verdadeiro amor ao próximo.

Este tipo de momento se torna inesquecível, um marco na vida de uma pessoa.

Fato é que os filmes estão cheios de cenas assim. Baseados na vida real. Um pequeno espaço de tempo, um instante de segundo, que pode mudar toda uma vida. O abraço que se dá em um filho num momento de tristeza. A palavra suave que transforma um momento de raiva em silêncio. O olhar que doa cumplicidade e companheirismo num momento de solidão da alma. E o sorriso que cura as nossas tristezas mais profundas.

Assim como um momento pode ser mudado por gentilezas, o mesmo pode acontecer de forma contrária. A palavra errada num momento de ira, o grito onde deveria haver o silêncio e ao invés do sorriso transformador, a face repreensora.

Não é fácil ser bom o tempo todo, nem amável, pois estamos todos em constante mudança, passando por situações transformadoras. Mas devemos apreender a nos acalmar por dentro, para que nem mesmo as piores situações nos tirem a paz. E assim o poder de mudar um pequeno instante.

O amor e a gentileza que moram em nós, têm o poder de mudar momentos, mudar vidas e histórias. É assim que mudamos o mundo: a partir de nós mesmos!

COMPARTILHE
Carolina Vila Nova é brasileira. Tem cidadania alemã, 40 anos. Escritora e Roteirista. É autora dos seguintes livros: “Minha vida na Alemanha” (Autobiografia), “A dor de Joana” (Romance), “Carolina nua” (Crônicas), “Carolina nua outra vez” (Crônicas), “Vamos vida, me surpreenda!” (Crônicas), “As várias mortes de Amanda” (Romance), “O dia em que os gatos andaram de avião” (Infantil), “O milagre da vida” (Crônicas) e "O beijo que dei em meu pai" (Crônicas). "Nosso Alzheimer." (Romance), Disponíveis na Amazon.com e Amazon.com.br



COMENTÁRIOS