O melhor presente que podemos dar e receber: a beleza psicológica

A beleza física não é tudo. Na verdade, o peso que a beleza física desempenha em nossas emoções tem um objetivo claro e fugaz: a paixão. Já a beleza psicológica é algo que vai além das aparências: através dela nos apaixonamos e apenas através dela nos despimos.

Porque a nudez emocional só pode ser alcançada quando falamos a linguagem da afetividade. Nosso coração se abre e os medos são afastados quando estamos cercados de pessoas bonitas que promovem a verdade, a sinceridade e o carinho íntimo da relação.

Mas, além das necessidades que se fundem com o egoísmo, uma beleza psicológica convida a se despir, às carícias da alma com a alma, ao mimo, ao sonho, à harmonia das aspirações, à proteção da autoestima, ao ser no mundo permeado de carinho.

ccac52a5250510e9d6892e706a917bb5
Arte: Choi Mi Kyung

Os presentes que recebemos através da beleza psicológica consolidam um apego sincero, saudável e eloquente. Porque o bonito não é o que agrada aos olhos, mas o que alimenta as nossas emoções e os nossos sentidos.

Nesse mesmo contexto, Virginia Satir pronunciou estas palavras lindas e adequadas:

“Acredito que o melhor presente que posso receber de alguém é que me veja, que me escute, que me entenda e que me toque. O melhor presente que posso dar é ver, escutar, entender e tocar a outra pessoa. Quando isso foi feito, sinto que houve uma conexão”.

Portanto, trabalhar na beleza psicológica dos nossos relacionamentos e fazer dela a nossa realidade exige escutar, conectar e conhecer nossa bagagem emocional. É imprescindível ajudar o outro a desvendar os seus medos, a superar suas inseguranças e atingir seus sucessos.

Chaves que nos conduzem a um relacionamento saudável

Não é nenhum mistério: somos mais felizes quando estamos ao redor das pessoas que gostam de nós. O que acontece às vezes é que nos esquecemos disso e ficamos imersos em relacionamentos abusivos que intoxicam nossa vida.

Por isso é importante termos muito presentes as chaves que nos conduzem a um relacionamento belo:

  • Segurança e confiança em si mesmo e nos outros: a intimidade verdadeira só é alcançada através da cumplicidade e da boa comunicação. Se derrubarmos muros e obstáculos, nos sentiremos melhor com nós mesmo e com o nosso entorno.*
  • Evitar preconceitos, viver longe dos jogos, das ironias e da hipocrisia. A beleza psicológica conhece apenas a humildade e o respeito.
  • Tirar o nosso tempo para construir emoções: elas são a base da nossa casa e, portanto, de nós mesmos.

 

Uma pessoa psicologicamente bonita é:

  • Uma pessoa que envolve, que não julga, que não castiga, que não procura fazer mal.
  •  Uma pessoa que está por perto daquelas que precisam dela, que procura a intimidade cúmplice.
  • Uma pessoa que reformula os pensamentos que machucam, que reconceitualiza o negativo, que aprende com os outros, que busca o melhor, que administra uma linguagem interior sincera.
  • Uma pessoa que se despe, que se abre, que revela, que cuida da estrutura de seus relacionamentos, que alimenta o afeto verdadeiro.
    Uma pessoa psicologicamente bonita não apenas é um ideal que buscamos ter ao nosso lado, mas também é a imagem de nós mesmos que todos desejamos. Por isso, sem dúvida, a beleza psicológica deve ser a prioridade diante do espelho, porque só podemos ler nossos olhos com a linguagem do coração. Porque apenas assim criaremos relacionamentos significativos, sinceros e duradouros que nos manterão vinculados à felicidade.

Título original: A beleza psicológica apaixona nossos sentidos

Autoria: Raquel Brito

Imagemd e capa: Aykut Aydoğdu

Fonte: A mente é Maravilhosa

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS