O envolvente CINEMA NÓRDICO em 12 filmes

Com grandes nomes na indústria cinematográfica, o cinema nórdico vem nos presenteando com trabalhos cada vez mais envolventes. Estamos falando de filmes dirigidos por Ingmar Bergman, Lars von Trier, Thomas Vinterbeg, Susanne Bier, dentre outros,  que nos oferecem algo para pensar. Muitos dos longos dessa lista são difíceis de digerir, alguns são polêmicos, mas todos valem a pena assistir.

Não estão em ordem cronológica, nem de preferência.

  1. FESTA DE FAMÍLIA

Nacionalidade: Suécia / Dinamarca

Do aclamado diretor dinamarquês Thomas Vinterberg. O patriarca de uma família (Henning Moritzen) resolve comemorar seu aniversário de 60 anos num hotel. Contudo, após a revelação chocante de um dos seus filhos, o que era para ser uma simples comemoração se transforma num evento cheio de surpresa, raiva e muito ressentimento.

filmes_9586_Festen-012

  1. A CAÇA

Nacionalidade: Dinamarca / Suécia

Dirigido também por Thomas Vinterberg, retrata a história de Lucas (Mads Mikkelsen) que trabalha em uma creche. Um homem querido pela comunidade que está reorganizando sua vida após o divórcio. Um certo dia, uma criança de cinco anos mente para a diretora da creche ao falar que Lucas mostrou suas partes íntimas para ela. A acusação resulta no afastamento dele do trabalho. Sem qualquer chance de defesa, ele começa a ser hostilizado pelos habitantes da cidade, numa verdadeira caça às bruxas.  O filme é muito forte e somos tomados por uma crescente sensação de injustiça na medida em que a trama vai se desenrolando.

1

  1. EM UM MUNDO MELHOR

Nacionalidade: Dinamarca / Suécia

Dirigido por  Susanne Bier, com Mikael Persbrandt no papel de Anton, um médico que divide sua vida entre o trabalha em um campo de refugiados na África e a família na Dinamarca. Em casa, ele enfrenta problemas com sua esposa Marianne (Trine Dyrholm) com quem tem dois filhos, Elias (Markus Rygaard) e Morten (Toke Lars Bjarke). Em paralelo, o garoto Christian (William Jøhnk Nielsen) chega na Dinamarca com seu pai Claus (Ulrich Thomsem), após a morte da mãe. Elias e Christian se tornam amigos e a partir daí as consequências dos seus atos marcarão as duas famílias.

em-um-mundo-melhor

  1. DANÇANDO NO ESCURO

Nacionalidade: Noruega / Suécia / Dinamarca /Finlândia / Islândia (…)

Dirigido pelo polêmico diretor Lars von Trier, o filme conta a história de Selma, interpretada pela cantora e compositora islandesa Björk, uma mãe solteira que tem uma doença degenerativa hereditária cuja consequência é a perda gradativa da visão, mal herdado também pelo seu filho de doze anos. Ela, imigrante tcheca, mora e trabalha duro nos Estados Unidos com a intenção de juntar dinheiro para a cirurgia do filho. Mas, algo muito sério acontece…  Não é um filme para aqueles que gostam de tramas sobre superação, mas um filme profundo e intenso que nos faz pensar sobre as graves distorções éticas da sociedade.

2

  1. A FESTA DE BABETTE

Nacionalidade: Dinamarca

Filme dirigido por Gabriel Axel, conta a história da francesa Babette que fugindo da guerra vai viver numa pacata vila onde arruma trabalho de cozinheira e faxineira na casa de duas irmãs. Após anos de trabalho para a família, Babette ganha um prêmio e resolve preparar um jantar francês que transformará para sempre a vida dos moradores da vila.
6978480718_642e0bc95e

  1. DEIXA ELA ENTRAR

Nacionalidade: Suécia

Dirigido por Tomas Alfredson, o filme mostra parte da infância de Oskar (Kare Hedebrant), um garoto solitário que sofre bullying na escola. Contudo, tudo muda quando Oskar conhece a pálida Eli (Lina Leandersson) que acabou de se mudar para a vizinhança. Enquanto as duas crianças tornam-se cada vez mais próximas e a amizade entre elas cresce, uma série de mortes acontece na região. Acontece que Eli está envolvida com os macabros acontecimentos, o que não parece ser um problema para o frágil garoto.

3.1

  1. O SÉTIMO SELO

Nacionalidade: Suécia

De direção de  Ingmar Bergman, considerado um dos maiores representantes do cinema sueco.  No filme, um cavaleiro participa de um jogo de xadrez com a Morte, cujo resultado determinará o seu destino. O clássico nos faz pensar sobre o significado da vida e também traz reflexões sobre a perda da fé e a crença em Deus.

4

  1. PARA SEMPRE LILYA

Nacionalidades Dinamarca / Suécia

Dirigido por Lukas Moodysson, o filme conta um pedaço da vida de Lilya (Oksana Akinshina), uma garota de 16 anos que é deixada na União Soviética após a sua mãe partir com o namorado para os Estados Unidos. Sem receber qualquer dinheiro da mãe, Lilya passa a morar em um apartamento no subúrbio sem energia elétrica e aquecimento. Nesse meio tempo ela conhece e se apaixona por Andrey (Pavel Ponomaryov) que a convence de que o melhor seria recomeçar a vida na Suécia, onde teria uma oportunidade de emprego.  Lilya aceita e se muda, mas ela nem imagina o sofrimento que a espera.

 5

  1. DEPOIS DO CASAMENTO

Nacionalidade: Dinamarca /Suécia

Dirigido por Susanne Bier, o filme começa nos mostrando a luta do dinamarquês Jacob Petersen (Mads Mikkelsen) para manter um orfanato numa região muito pobre da Índia. Sem recursos para seu trabalho social, Jacob recebe uma proposta de doação por parte de um magnata sueco chamado Jorgen (Rolf Lassgard), mas para receber ele precisa ir até a Dinamarca. Jacob viaja para Copenhague, porém Jorgen avisa que somente decidirá sobre a doação depois do casamento da sua filha e convida Jacob para a festa. No casamento virão grandes surpresas.

adepois

  1. DOGVILLE

Nacionalidade: Dinamarca / Noruega / Suécia / Finlândia (…)

Dirigido por Lars von Trier, o filme se passa na década de 30, quando uma desconhecida chamada Grace chega numa comunidade em busca de refúgio, pois está sendo perseguida por bandidos. Ela é escondida na comunidade e em troca trabalha para as pessoas que vivem no local. O acerto é de que após duas semana haverá uma votação para decidir se ela poderá ficar ou não. Grace é “aceita” na vila, mas os moradores começam a exigir abusivamente algumas coisas em troca pelo risco de escondê-la. O que ninguém imagina é que o segredo de Grace pode ser perigoso demais.

6

  1. O AMANTE DA RAINHA

Nacionalidade: Dinamarca

Dirigido por Nikolaj Arcel, o filme se passa no século XVIII e conta a história da jovem britânica Carolina Mathilde (Alicia Vikander) que se torna rainha da Dinamarca depois de casar com o perturbado e fragilizado rei Christian VII (Mikkel Boe Folsgaard). Por conta da doença do rei, o alemão Johann Struensee (Mads Mikkelsen) é escolhido como o médico da corte, momento em que se aproxima da rainha. O romance entre o médico e Carolina é retratado no filme, bem como a forma em que o casal, aproveitando-se da doença do monarca, assume o poder e inicia uma reforma no país. É a entrada do Iluminismo no norte da Europa. O idealismo político de Struensee também é muito bem destacado na história.

 7

  1. OS HOMENS QUE NÃO AMAVAM AS MULHERES

Nacionalidade: Dinamarca / Suécia / Noruega / …

Baseado no primeiro livro da Trilogia Millennium, o filme nos mostra a eletrizante investigação particular sobre o desaparecimento de Harriet Vanger há 36 anos. A polícia não teve sucesso sobre o paradeiro da jovem e o caso permanece em aberto. Porém, mesmo após longos anos, seu tio ainda está à procura de Harriet, razão pela qual contrata Mikael Bomkvist (Michael Nyqvist), um jornalista investigativo que trabalha na revista Millennium. Ele aceita o trabalho e recebe ajuda de Lisbeth Salander (Noomi Rapace), uma moça talentosa e nada sociável.

8




COMENTÁRIOS