O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser

Amar. Verbo difícil de ser conjugado. Difícil de aprender, mais difícil, ainda, de ensinar. Mas precisamos dele e, assim, não temos como deixá-lo de lado. Apesar de ser difícil entender tudo que ele faz conosco. Noites perdidas, choros, soluços e uma porção de coisas que não conseguimos nem definir. Tudo parece tão bonito quando se ama e, se é assim, por que não amar?

Eu digo. Porque amar traz dor de cabeça. Amar dá trabalho. E quem está disposto a se esforçar? Queremos um amor do tipo mala com rodas, daqueles que não nos demandam força. Talvez seja por isso que nos encontramos em relacionamentos tão vazios e sem vida.
Queremos alguém que se encaixe perfeitamente em nossas vidas. É como se estivéssemos em uma entrevista analisando o melhor currículo. Se o candidato aparenta algum problema, logo tratamos de dispensá-lo. Afinal, não queremos ficar com alguém que nos traga problemas. Queremos, como diz o povo, “uma árvore com sombra”.

Mas, e aí? O que isso garante? Um relacionamento estável? Uma troca de conveniências? Provavelmente, mas nada substitui o amor. Amor de verdade, não desse tipo. Daqueles que tiram o sono, que nos fazem renegar a vida sem o ser amado, que provocam choros e soluços. Pois o outro é cheio de defeitos e erros. E ainda assim o amamos.

Amamos, como diria Nietzsche, porque estamos habituados a amar. Mais que isso. Porque reconhecemos no outro as nossas fraquezas. Quem ama é humilde para reconhecer que possui inúmeros defeitos e, ao contrário do que pensam, para enxergar os pormenores dos defeitos do outro.

Enxerga e não se conforma com a situação. Pelo contrário, busca melhorar e se livrar dos vícios que o afastam do ser amado. Reconhece que tem defeitos e que o outro também os tem, mas não se dobra a eles. Tenta fazer deles seus escravos. Uma vez que a beleza do amor está em tornar-se alguém melhor para o ser amado. Isto é, extinguir todas as barreiras que o afastam do outro.

Não é prepotente para dizer me aceite como eu sou. Tem coragem para amar e estar ao lado do outro, como o melhor que pode ser. Portanto, esforça-se. Sem medo, mergulha em águas profundas, à procura da beleza que só o fundo do oceano pode ter.

Não tem medo de ligar de madrugada, se for para dizer eu te amo. Sabe que a cada dia pode melhorar e melhora. Não porque existe uma obrigação, mas porque a vida nos dá oportunidades e não é pela preguiça e pelo conformismo que devemos deixá-las passar. Deixar passar a oportunidade de ser importante para alguém de verdade e em cada suspiro ter o seu eu junto.

Amar é superar os obstáculos unidos. É saber caminhar de mãos dadas e, quando necessário, carregar o outro no colo. Amar não é ter alguém pronto ou perfeito. Amar é estar disposto a se tornar perfeito para o outro. É não ter orgulho para pedir desculpas e chorar, se for necessário. Amor é muito mais do que um contrato ou uma seleção.

Amor é para quem não tem medo de sustentar sua existência além de si mesmo. É para aqueles que gostam de mochilas sem rodas. É para que tem, no abraço do outro, um refúgio que livra de todos os medos. É para quem não tem medo de se envolver, de estar junto e lutar dia a dia, lado a lado. É para quem entende que o amor tem beleza própria, a qual nos faz belos.

Amar é um desafio, pelo qual nem todos conseguem passar. E, por isso, procuram opções mais fáceis, mais rápidas. Mas o amor é para quem tem paciência. É para quem tem coragem de ser a razão do sorriso do outro. É para quem se esforça para ganhar mais sorrisos, pois os sorrisos de um amor são como poemas na alma. É para operários que não têm medo de se sujar, pois

“O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforme no melhor que podemos ser.”

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Erick Morais
"Um menestrel caminhando pelas ruas solitárias da vida."Contato: erickwmorais@hotmail.com

COMENTÁRIOS