O amor é para os corajosos – é preciso estar pronto pra amar

Imagem de capa: oneinchpunch/Shutterstock

Algum lugar do mundo, 19 de novembro de 2016

Meu bem,

Pule fora de amores mal dados, afetos de má vontade, conflito e confusão. Caia fora. Encare de vez essa carência e solidão.

Sei que tem muito amor para dar. Que seu coração sofre por não encontrar alguém que mereça recebê-lo e, mais ainda, retribui-lo. Mas, corra, quantas vezes forem necessárias, dos que te fizerem duvidar se ainda vale a pena amar.

Rejeite, enjeite, rechace tudo que for forçado, empurrado, engolido. Normalmente, regado à ansiedade e descaso. Não tema dizer adeus, quantas vezes forem necessárias. Mesmo que seu medo de ficar só seja insuportável. Não existe solidão maior do que estar sozinho acompanhado. Do que não se sentir retribuído. Mendigar afeto e não ser amado.

As situações talvez estejam se repetindo para que aprenda alguma lição. Amor verdadeiro requer preparo e maturidade. O que falta ser entendido? A cada adeus, o que fica, então? Melhor ainda, o que você deixa que levem? E sinto muito. Não é roubado. É dado de bom grado. Conscientemente ou não. A quem você dá permissão de tirar seu rumo, seu sono, seu sossego sem que seja para amar?

Talvez a lição mais dura seja aquela que nos ensina que o amor próprio precisa vir primeiro. De que não devemos buscar nossa metade: devemos ser inteiros! Inteiros o suficiente para não deixarmos que qualquer um entre e bagunce nossa casa. Deixe que os indecisos se resolvam, que os machucados se curem, que os sem esperança decidam arriscar. Amor é para os corajosos e antes que ele chegue, é preciso estar pronto pra amar.

Moça, moço, agradeça a tentativa, diga não, dê adeus. Chore talvez, por um dia ou dois, mas com a certeza que não era seu. Se não for seu caminho, não adianta malabarismo, reza, superstição. Não vai pra frente. O amor chega pra quem está preparado, aparece de repente, naquele momento em que nos sentimos completos com o que somos. Flui naturalmente.

Pare agora de dar murro em ponta de faca. Acredite que o amor existe da boca pra dentro, pra dentro da alma. E aja de acordo com isso. Não existe nada de errado em ser intenso, ir com tudo, dar seu melhor. Não jogue! Seja você mesmo. Esse nunca foi o problema, pode acreditar. Aquele que vier pra somar gostará do lado bom e do pior. Portanto, ao primeiro sinal de falta de reciprocidade, diga adeus, mude a direção: escolha a si mesmo! E faça com que não exista amor maior.

Estamos combinados?

COMPARTILHE
Júlia H. G.
"Amante das exatas com coração de humanas. Descobrindo nas palavras uma válvula de escape para tanta reflexão guardada."


COMENTÁRIOS