Nomofobia: Será que você também sofre desse vício moderno?

Por  Maria Cristina Ramos Britto

O nome é pouco conhecido, mas ele designa um transtorno mais comum do que se imagina: no+mobile+fobia significa fobia de ficar sem conexão móvel. Quem nunca quase foi atropelado na calçada por uma pessoa que vem caminhando de cabeça baixa, desligado do mundo à sua volta, conectado apenas ao seu celular ou smartphone? Talvez o desavisado transeunte esteja desenvolvendo nomofobia, que significa dependência em celular ou aparelhos semelhantes. Considerada também um vício, a interrupção ou impossibilidade de usar o aparelho causa reações emocionais, como ansiedade e angústia, e físicas, como sudorese e taquicardia, sinais de síndrome de abstinência, como nos casos de dependência de drogas, por exemplo.

NOMOFOBIA CAPA
NOTA da CONTI outra: a ilustração selecionada alerta para o risco que as novas gerações estão correndo ao romper com aspectos fundamentais da infância- principalmente os ligados à necessidade de exploração e do brincar- em decorrência do forte apelo tecnológico.

Tudo na vida tem aspectos positivos e negativos, estes últimos prevalecendo se não houver equilíbrio no uso e usufruto. Em relação à tecnologia, o princípio de equilíbrio também se aplica. Ferramenta imprescindível nos dias atuais, o celular popularizou-se e, além da utilidade profissional, serve para aproximar as pessoas, diminuir distâncias, resolver questões urgentes. Mas se o indivíduo nunca desliga o celular, inclusive à noite, dormindo com ele ligado ao lado da cama; entra em sofrimento quando ninguém telefona, ou se fica sem bateria ou crédito; abandona qualquer atividade, como situação de trabalho, estudo, reunião social e familiar, para atender uma chamada ou responder a uma mensagem; apresenta alteração de humor e comportamento quando se vê impossibilitado de usar o aparelho ele está manifestando que o celular em vez de solução tornou-se um problema.

Note-se que a sensação de ter muitos relacionamentos virtuais pode levar a pessoa a se distanciar do mundo real e a desenvolver uma falsa percepção de pertencimento. Ou seja, ter centenas de amigos nas redes sociais não significa, necessariamente, intimidade ou mesmo proximidade. Além dos sintomas emocionais, o uso excessivo de aparelhos eletrônicos pode ocasionar o que os ortopedistas chamam de vício de postura, ocasionando dores lombares e escolioses (desvios na coluna), e tendinites. E, se rouba tempo antes dedicado à prática de exercícios físicos, contribui para o sedentarismo e, consequentemente, para o aumento de peso. É fato que a nomofobia causa sofrimento emocional e prejuízos significativos, sendo indicada a procura por orientação e tratamento.

COMPARTILHE
Maria Cristina Ramos Britto
Psicóloga com especialização em terapia cognitivo-comportamental, trabalha com obesidade, compulsão alimentar e outras compulsões, depressão, transtornos de ansiedade e tudo o mais que provoca sofrimento psíquico. Acredita que a terapia tem por objetivo possibilitar que as pessoas sejam mais conscientes de si mesmas e felizes. Atende no Rio de Janeiro. CRP 05/34753. Contatos através do blog Saúde Mente e Corpo.



COMENTÁRIOS