“Nego atoa” – você já ouviu essa expressão?

Por mais que se apregoe a igualdade racial e a isonomia, o poema abaixo ainda é a cara Brasil.

Em tempos onde a frase em voga é “Somos todos macacos”, segue um poema para enriquecer o debate sobre a falsa igualdade racial brasileira.
Vale a reflexão!

Título: “Para inglês ver”

Por Nara Rúbia Ribeiro

NEGO

PARA INGLÊS LER

O preto, seu moço, 
eu nego.

É uma cor atrevida demais.

Esse povo chega do nada
e acho que se acha gente.
Eu nego.

E se quiserem trabalhar
como os outros
assim de igual pra igual,
eu nego.

E querendo ser nego sabido,
tem jeito não, isso de nego estudar,
eu nego.

E quando pedirem pra andar
adiante, como quem quer sonhar,
eu nego.

Mas se falam que sou racista,
seu moço, olho o camarada no olho :
_ Respeita que meu nome é Brasil, seu nego atoa!
E nego.

Nara Rúbia Ribeiro

Nara Rúbia Ribeiro: colunista CONTI outra

10375991_704688386255695_1410672344130654829_n

Escritora, advogada e professora universitária.
Administradora da página oficial do escritor moçambicano Mia Couto.
No Facebook: Escritos de Nara Rúbia Ribeiro
Mia Couto oficial

Gostou? Compartilhe!

COMPARTILHE
Nara Rúbia Ribeiro
Escritora, advogada e professora universitária.



COMENTÁRIOS