Não troque sorrisos por um amor que não ficou

Eu sei, dói. E como dói. O amor que era para ficar, que já estava confortável, com os pés descalços, mãos dadas e tudo mais incluído no pacote. Foi intenso, real e presente. Eu sei de tudo isso. Ainda assim, não troque sorrisos por um amor que não ficou. Você merece mais, moça.

Eu sei, você tinha feito planos, imaginado viagens, apresentado aos amigos e para a família. Numa noite qualquer, na mesa de bar, até o pessoal do trabalho ficou sabendo. E gostaram. Torceram. Expectativas e outras histórias conhecidas por quem vive e ama por dois. Mas não deu, moça. O que você pode fazer?

Sim, chorar ajuda. Não é nenhum sinal de fraqueza, em plena sexta à noite, você, um filme qualquer, um pote de sorvete ou mesmo uma playlist romântica da mais sórdida. Tudo isso pode até fazer parte do processo, desde que, após alguns dias, perceba o tanto de amor residente em si. São carinhos que podem não ter encontrado o melhor espaço para permanecer, mas estão longe de serem incompatíveis nos abraços de outro alguém.

Porque eu sei bem de machucados, moça. Quantas cicatrizes este coração navegou e não morreu na praia. Lógico que os sentimentos tornaram-se cambaleantes. Alguns caldos aqui e ali, mas não o suficiente para um completo desapego.

Antes do outro, existe você. E eu também sei que, dentro desse mar de amor, existe esperança. Há novos ares lá fora. O mundo não é pequeno para caber um único amor. Quem acha se tratar de uma probabilidade, digo, o amor não joga com isso. Está mais para saber amar-se. Depois, bem depois, o querer é mais límpido. Confiante, diria.

Moça, espanta essa tristeza. Alguns corações não vieram para ficar. O importante é saber que o seu veio para transbordar. Você amou de verdade no tempo necessário. Agora, descubra, mais uma vez, como permitir a vida lhe trazer inteiros sorrisos. Porque você sempre mereceu e, acredito, que eu também.




COMENTÁRIOS