Mia Couto fala de quando se “auto-batizou” Mia por viver em “promiscuidade existencial” com os gatos”

Mia Couto, escritor moçambicano, foi o Convidado de um evento do Fronteiras do Pensamento e Companhia das Letras, em agosto de 2013.

Neste trecho da entrevista concedida à Eliane Brum e à Raquel Cozer, Mia pondera sobre a importância dos nomes na criação dos seus personagens, discorrendo ainda sobre a importância do nome a cada um de nós e sobre seu “auto-batismo”, no qual escolhera o nome Mia, num momento em que vivia em “promiscuidade existencial com os gatos”.

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS