Foi por Mia Couto que nasceu o Atlântico. Conheça a história.

Ninguém é capaz de prever o impacto das palavras. A alma poética de Mia Couto atravessou fronteiras e mares, isso é sabido. O que poucos sabem é que foi por tal poesia que Deus fez nascer o Atlântico.
mar capa

Imagem- pesquisa google

PANGEIA POÉTICA

…………………….Para Mia Couto

No princípio
Éramos juntos
E viu Deus que isso era bom.

Mas angustiei-me de alegria em excesso
E, em triste manhã,
Não li,
Não senti,
Eu não sonhei os teus versos.

Deus, desiludido de mim,
Em ação irrefletida e forte,
Fez abrir uma fenda estranha,
(Tenebroso castigo)
Entre o teu continente e o meu:
Assim nasceu o Atlântico.

Fiz-me vã vereda do céu,
Enterrei-me de abismos,
Envenenei-me de mar.
Assaltei as asas do tempo,
E sobrevoei os ventos que vieram dos cimos do sonho:
Sempre estive a procurar por ti.

E que assim compreendas
A emoção que nestas páginas verti:
É a emoção de dedilhar os teus versos.
O teu poema é poesia de espera
Pela qual procurei
Pelos veios de todas as eras.

Nara Rúbia Ribeiro
Gyn, 2009

Nara Rúbia Ribeiro: colunista CONTI outra

10375991_704688386255695_1410672344130654829_n

Escritora, advogada e professora universitária.
Administradora da página oficial do escritor moçambicano Mia Couto.
No Facebook: Escritos de Nara Rúbia Ribeiro
Mia Couto oficial

Gostou? Compartilhe!

COMPARTILHE
Nara Rúbia Ribeiro
Escritora, advogada e professora universitária.



COMENTÁRIOS