Meu filho tem baixo rendimento escolar – preguiça ou doença?

Por Leandro Velasco

É muito comum os pais fazerem referência ao baixo rendimento escolar dos filhos como sendo preguiça ou falta de interesse pelos estudos. Isso é motivo para constantes desentendimentos, nos quais a criança ou adolescente se sente criticado, diminuído e incompreendido, pois nem mesmo ele entende o porquê de sua própria dificuldade. O que esses pais talvez não saibam é que a explicação pode estar na qualidade do sono de seus filhos.

ENTENDA O PAPEL DAS FASES DO SONO NO ORGANISMO

O sono é dividido em várias fases, mas é possível resumi-las à fase de sono Leve, Profundo e REM (sigla para Rapid Eye Movement, ou seja, movimento rápido dos olhos).
Na fase leve do sono, o organismo se prepara para o descanso, diminuindo a temperatura corporal, os ritmos cardíacos e as ondas cerebrais.

Na fase do sono profundo, a pessoa se recupera do cansaço diário. É uma fase fundamental para a liberação de hormônios ligados ao crescimento e para a recuperação de células e órgãos. É nesta fase que o corpo realmente descansa.

Na fase conhecida sono REM, na qual temos o processo de formação de sonhos, que o cérebro fixa as informações captadas durante o dia, ou seja, fixa o aprendizado e a memória recente.
Assim sendo, somente passando por todas fase do sono, sem interrupções, é que o ser humano estará recuperado e disposto para o dia seguinte.

POR QUE MEU FILHO DORME A NOITE TODA, MAS CONTINUA COM SONO?

Observe se, junto com seu baixo rendimento escolar, seu filho tem dificuldade para respirar, se respira mais pela boca do que pelo nariz, se ao praticar qualquer atividade se cansa rapidamente ou fica ofegante e se, principalmente durante o sono, ronca ou parece “acordar brevemente com um susto”.

Observe se, mesmo dormindo a noite toda, sentem grande dificuldade para se levantar de manhã e permanecem sonolentos ao longo do dia. Se sim, seu filho pode estar sofrendo de SAOS ou SÍNDROME DE APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO.

O indivíduo que sofre com essa síndrome, mesmo sem perceber ou lembrar, sente sufocar pelo interrupção do ar que respira, levando-o a despertar inúmeras vezes durante a noite, impedindo que entrem nas fases profunda e REM do sono. Desta forma, acordam cansados, sonolentos e com enorme dificuldade de aprendizado.

QUAIS AS CAUSAS DA SAOS?

Muitas podem ser as causas da SAOS. Obesidade, amígdalas gigantes e hipertrofia dos cornetos (carne esponjosa no nariz) podem ser alguns dos fatores. Mas um indicativo comum nessa fase da vida pode estar no perfil de seu filho.

Observe se ele é portador de assimetrias na parte inferior da face (maxila e mandíbula). Essas assimetrias se caracterizam pelo queixo projetado muito para frente (como no goleiro Cássio) ou muito para trás (como no compositor dos anos 30 Noel Rosa).

Essas assimetrias são chamadas respectivamente de PROGNATISMO e RETROGNATISMO e estão diretamente ligadas à dificuldades respiratórias, pois alteram o tamanho do espaço por onde passa o ar na garganta quando respiramos.

O QUE FAZER?

Se seu filho se encaixa nessa descrição, é primordial, para o correto diagnóstico e tratamento, levá-los para uma avaliação por especialistas, tais como otorrinolaringologista e cirurgião buco maxilo facial, já que, em casos mais graves e/ou onde há presença de assimetria facial, pode haver necessidade de intervenção cirúrgica. O tratamento adequado, nesses casos, melhora significantemente sua qualidade de vida, sua disposição para atividades, sua capacidade de aprendizagem e sua autoestima.

COMPARTILHE
Leandro Velasco
Formado em Medicina e Odontologia, atua como especialista em Cirurgia Buco Maxilo Facial, realizando anualmente um número expressivo de cirurgias ortognáticas para correção de deformidades dentofaciais e tratamento de Apneia Obstrutiva do Sono grave. Pai de um lindo casal de filhos, é autor de livros, ministra palestras e aulas, além de escrever, com frequência, alertas sobre SAOS, assimetrias da face e seu impacto sobre a qualidade de vida do ser humano.



COMENTÁRIOS