Meu cachorro pirou! Por que os cães tem alguns hábitos estranhos?

Você já deve ter reparado naquela incongruência entre a super bola de pelos fofíssima e a inesquecível bola de imundice perambulando em seus aposentos pela casa. Trata-se do mesmo ser, aquele seu mascote cheiroso que insiste em voltar às entranhas de seus antepassados, se refestelando sobre os dejetos mais nojentos possíveis. Basta levar seu cachorro para uma fazenda ou qualquer lugar onde haja vacas e cavalos, e seu amigo volta verde como um alien para casa: ele acabou de rolar feliz e satisfeito pelas fezes dos equinos e bovinos, e você ficou sem entender tal feito.

Acontece que a culpa é nossa! Sim, nossa. Vamos entender. Cães possuem um cheiro característico, um odor que incomoda muita gente, principalmente aqueles que mantém os peludos dentro de casa. Na tentativa de pelo menos amenizar esse cheirinho, muitos desses cães tomam banho pelo menos uma vez por semana, camuflando o aroma natural que eles tanto amam. Na tentativa de voltar a possuir esse elixir canino, eles rolam nas fezes de animais herbívoros numa espécie de atavismo, ou seja, herança antepassada. Na natureza, seus semelhantes costumam deitar e se esfregar sob fezes e carniça para obter o odor natural de volta, como também, disfarçar sua presença contra predadores e presas.

Banhos em excesso podem estimular ainda mais as glândulas responsáveis pelo cheiro dos cães, fazendo com que aumente. Ao contrário do que a maioria pensa, a diminuição dos banhos controlam o odor.

Outro hábito mal interpretado é o ato de comer mato. As pessoas erroneamente acreditam que os cães comem capim porque estão com dor de barriga. Há sim casos em que os animais ingerem mato por má nutrição e verminoses, porém, existe um outro fator muito interessante em torno desse costume. Quando os predadores, no caso, os antepassados dos cães, se alimentavam de suas presas herbívoras, boa parte da celulose que se encontrava no estômago delas, eram consumidas automaticamente pelos carnívoros, logo, o organismo desses caçadores atualmente domesticados, sentem alguma necessidade de repôr essa “lembrança”. Portanto, se o seu gatinho ou o seu cachorrinho não está desnutrido ou parasitado, e mesmo assim insiste em comer mato, lembre-se que não há problema algum nisso, estão apenas, inconscientemente, relembrando um passado orgânico.

E, por fim, você já deve ter se perguntado alguma vez, por que os cães cheiram o traseiro uns dos outros, eca! Pois saiba que esta é a forma que eles dizem “olá”, a maneira como conhecem seus “amiguinhos”. Digamos que o bumbum de um cachorro seja sua carteira de identidade. No ânus dos cães existe uma glândula, o odor que ela produz costuma indicar inclusive do que aquele animal se alimenta. Sim, os cães são capazes de identificar do que o seu colega canino se alimenta simplesmente ao cheirar o ânus dele. Já reparou que alguns cachorros de rua colocam a cauda por entre as pernas ao ser cheirado? Acreditem, é uma maneira de avisarem que estão envergonhados, e tentam esconder ou isolar o ânus, pois se alimentam de lixo, comida estragada, dentre outros alimentos, que dentro de uma hierarquia, não seriam muito proveitosos.

Cães tratados com boa comida, automaticamente estão no topo dessa hierarquia, e conseguem identificar seus semelhantes menos favorecidos através desse “olá”. Imagine conhecer se uma pessoa é rica ou pobre pelo odor do seu ânus? É bem por aí.

Independente de um hábito ser agradável ou não, tente sempre compreender seu cachorro para que ele se mantenha em equilíbrio com sua natureza, e junto ao convívio com sua família.

Imagem de capa: atikinka/shutterstock

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Júlia Guglinski

Treinadora e comportamentalista de cães. Atriz de teatro, cantora e compositora.


COMENTÁRIOS