Lembra-se da última vez que respondeu com amor?

Responder com amor sim, não necessariamente com o coração porque nem sempre responder com o coração é responder com amor.

Uma vez escrevi um texto sobre esta questão sublinhando que o melhor desarme é o amor: ‘Responde com amor sobretudo quando não esperam que o faças. Não porque é o “correto”, não porque és fiel a determinada religião, mas porque só pode ser esse o caminho (…)’. O certo é que, revisitando esse texto, posso dizer que a estrada da vida tem continuado a mostrar-me isso mesmo.

O amor contagia. A bondade tem vontade própria, vontade de se multiplicar e crescer exponencialmente quando alimentada por pessoas do bem; não boas pessoas, pessoas do bem, porque todos nós temos as nossas imperfeições. O que distingue as pessoas é que quem é do bem disciplina o seu coração para não ceder ao ódio, à raiva ou ao rancor e para lembrar o melhor que cada um tem e traz à nossa vida.

O amor cura. Uma vez vendo um programa da Oprah (Winfrey) há alguns anos lembro-me de ouvir uma frase que me marcou: “Basta um pouco de amor para acabar com a loucura”…. Eu acredito nisso, no poder do amor para ajudar a Humanidade a encontrar o seu caminho.

Deparo-me por vezes com a situação incômoda de ver a importância do amor ser menosprezada e talvez para mim própria no passado essa relevância não fosse tão evidente como me é hoje.

É também para mim evidente que é tão mais difícil mantermo-nos “do bem” quando se olha em redor e não deixar corromper a nossa essência continuando a lutar pelos valores que nos fazem dormir com a consciência tranquila no final do dia. Admiro todos aqueles que se mantêm fiéis a si mesmos por mais que se sintam por vezes esmagados. E mais: ser do bem não é querer agradar a todos mas tratar com amabilidade todos aqueles que conhecemos ou desconhecemos a sua dor. É isso que faz de nós humanos, apenas.

Como terminei o texto que referi acima continua a fazer sentido dizer que ‘talvez escreva como vivo, no mundo da lua, mas ainda quero acreditar nos meus sonhos de criança, que este mundo pode ser melhor se assim o quisermos, que tu podes realmente melhorar se o desejares e que, juntos, podemos preservar o que de melhor este planeta tem…o amor”.

COMPARTILHE
Marline Pereira
Ainda sonho em fazer a diferença no mundo, em deixá-lo um pouco melhor do que o que encontrei. Acredito que no fim do dia o que importa é o amor que sentimos e partilhámos.



COMENTÁRIOS