Largue os bens materiais e viaje

Existe um dilema bastante presente na vida de todos os humanos, e como é óbvio este encontra-se relacionado com o dinheiro e como gastá-lo.

De acordo com James Wallman o primeiro passo para tomar esta consciência, passa por reconhecer que por vezes ter mais coisas não significa ser mais feliz, até porque na maior parte dos casos ou não as usa ou fica farto delas bem depressa. O segundo é tentar encontrar algo que seja mais significativo para si do que propriamente estes bens materiais e por fim ele refere que a solução encontra-se na experiência, pois em vez de a comprar está a adquiri-la.

Pode-se então referir que, em vez de gastar o seu dinheiro em coisas materiais, porque não investi-lo em algo que o faça mais feliz e do qual nunca se arrependa? E isto significa viajar!

Mas se ainda tem dúvidas sobre o que lhe acabamos de revelar, porque não dar uma vista de olhos nas razões que o comprovam.

Em primeiro lugar, existe uma maior dificuldade em comprar a experiência do que os bens materiais, pois não existe nenhuma viagem igual a outra. Além de ganhar muito mais bagagem, isto quer dizer, mais conhecimentos acerca do país em si e dos seus habitantes, acaba  por conhecer outras pessoas, criar memórias e porque não fazer amigos.

Por outro lado, se gosta de viajar a dois isto faz com que saia da rotina e tenha mais tempo para si e para a sua cara metade, embora também o possa fazer sozinho e nesse caso a experiência vai ser sempre mais do que fantástica. Em relação aos bens materiais eles não lhe permitem fazer isto, e por vezes acabam por separar ainda mais as pessoas.

A perspetiva com que fica após fazer uma viagem é algo de extraordinário, até porque nenhum país é igual, bem como as suas crenças, os seus habitantes, os seus costumes e de certeza que vai acabar por dar mais valor a estas coisas do que propriamente aos objetos, pois esses não lhe enriquecem a mente e na maior parte dos casos apenas o fazem desperdiçar dinheiro em vão.

Pode dizer-se que uma viagem fica para sempre marcada na sua vida, pois não interessa a idade que tinha ou que tem, interessa a sua felicidade e como foi feliz durante aquela semana, ou quem sabe aquele mês. O fato de poder partilhar as suas experiências com outras pessoas acabam por deixá-lo entusiasmado e pronto para escolher o próximo destino.

Por fim, é uma excelente forma de crescer e aprender um pouco mais sobre si, assim como sobre os outros. Se está a passar por um momento mais complicado é ideal para conseguir relaxar e libertar a cabeça, até porque vamos ser sinceros fazê-lo dentro de um centro comercial nunca lhe vai trazer a mesma sensação!

Podemos no entanto, dizer que as viagens são sem dúvida uma forma de felicidade e embora nem todos tenham a possibilidade de as fazer continuamente, pelo menos que o façam uma vez na vida.

Fonte indicada: Sapo

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS