Joe Webb: colagens cínicas sobre problemas crônicos do mundo atual

Joe Webb é um artista gráfico inglês que, cansado das dependências da tecnologia, se voltou para a arte da colagem, uma técnica que ele descreve como “mais imediata e gráfica do que a pintura”.

Ávido colecionador de revistas antigas e artigos impressos, Webb utiliza recortes de material original esquecidos em lojas de caridade, sebos e livrarias para criar justaposições surreais, feitas à mão.

Combinando apenas dois elementos em cada peça a fim de reinventar o cenário inicial e criar uma narrativa através do processo, o trabalho de Webb lembra um pouco a arte surrealista de Tanguy e Magritte (que são influências diretas para suas composições).

Webb coleta imagens antigas e faz edições nelas, transformando uma figura original em algo novo, particularmente surreal e com mensagens sociais impactantes.

O inglês começou a fazer essas colagens simples em reação a trabalhar como artista gráfico em computadores por muitos anos. Hoje um crítico ferrenho da tecnologia, ele procura se manter fora das mídias sociais o máximo de tempo possível.

Em seu site, ele escreveu o seguinte:

“Acho que me tornei bastante anti-tecnológico, embora eu agora promova minha arte em sites, tenha um iPhone e perfil no Facebook. É confuso, mas eu gostaria de ter nascido há 100 anos atrás.”

As colagens cínicas de Webb são feitas em seu estúdio que fica no distrito de East Sussex. Millhares de pessoas ao redor do mundo compartilham seu portfólio artístico. O artista tem vendido sua arte para diversas galerias e revistas que aderem a seu estilo. Suas colagens e gravuras podem ser encontradas na galeria Saatchi, em Londres, e na revista Another Magazine, por exemplo.

Essas imagens artísticas de Webb fazem com que viajemos para meados da década de 50, quando o estilo vintage estava na moda. As colagens do artista parecem anúncios publicitários comuns daquela época, em sua forma estética, as quais constavam em revistas, jornais, panfletos e outdoors.

As obras de Webb exploram problemas crônicos de cunho universal, relações humanas e a interação do homem com o meio-ambiente por intermédio de técnicas de impressão meticulosas. Suas obras são instigantes, simbólicas e metafóricas, inspiradas em recursos visuais típicos de 60 anos atrás.

A artista Wangechi Mutu deu sua opinião sobre o trabalho de Webb. Ela disse:

“Joe Webb navega em uma paisagem rica com graça e humor, tornando agradáveis muitos passatempos visuais reconhecíveis. Ele joga com as colagens de uma forma que coloca diferentes eras no diálogo social, permitindo que personagens viajem para longe de suas raízes.”

Em suas colagens, o artista inglês aborda temas como guerra, aquecimento global, miséria, fome, desigualdade social, exploração trabalhista, examinando, assim, alguns dos inúmeros desafios de se viver no mundo moderno.

Abaixo, estão as principais colagens cínicas de Joe Webb:

joe webb_31

joe webb_5

joe webb_1 joe webb_2 joe webb_3 joe webb_4 joe webb_6 joe webb_7 joe webb_8 joe webb_9 joe webb_10 joe webb_11 joe webb_12 joe webb_13 joe webb_14 joe webb_15 joe webb_17 joe webb_18 joe webb_19 joe webb_20 joe webb_21 joe webb_22 joe webb_23 joe webb_24 joe webb_25 joe webb_26 joe webb_27 joe webb_28 joe webb_29 joe webb_32 joe webb_33 joe webb_34

COMPARTILHE
Eduardo Ruano
Escritor e redator por hobbie e profissão. Me considero uma pessoa racional, analítica, curiosa, imaginativa e em constante transformação. Gosto de ler, escrever, correr, assistir séries, beber e viajar com os amigos. Estudioso de psicologia, filosofia e comportamento humano. Também sou interessado em arte, literatura, cultura e ciências sociais. Odeio burocracias, formalismos e convenções. Amo pessoas excêntricas, autênticas e um pouco loucas, até certo ponto. Estou sempre buscando novas inspirações para transformar ideias em palavras.



COMENTÁRIOS