Inseparáveis: idosa e sua gatinha morrem com horas de diferença

“Minha avó e sua gatinha eram inseparáveis – na vida e na morte.” Jill Layton, do The Dodo, conta que quatro horas após Gabby, a gata, falecer aos 15 anos, sua avó também se foi.

A gatinha e a senhora moravam juntas em um complexo de apartamentos para idosos, como verdadeiras colegas de quarto. “Elas começam a reduzir o ritmo ao mesmo tempo, mas continuaram sendo idosas amáveis que gostavam da companhia uma da outra”, conta Jill.

Gabby começou a ficar mais reservada e a avó começou a comer cada vez menos e perder peso. As duas estavam chegando na hora de partir.

Durante uma última consulta ao veterinário, chegaram à conclusão de que seria melhor colocar Gabby para dormir. “Minha avó ficou ao lado dela confortando-a quando ela fechou os olhos pela última vez.”

Quando chegou em casa, a avó se deitou no sofá e não acordou mais.

“Talvez fosse apenas sua hora e uma estranha coincidência, talvez ela tenha falecido de um coração partido ou talvez suas almas não pudessem ser separadas”, conta Jill. “Gosto de pensar que o espirito de Gabby estava lá para confortar minha avó, da mesma forma como vovó fizera por ela algumas horas antes.”

E esse amor continua inseparável: as duas estão enterradas juntas.

Informações e foto do The Dodo, via Gatinho Branco

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS