Idoso com Alzheimer volta a falar quando está perto de seu cão

Costuma-se dizer que o mal de Alzheimer é pior para a família do que para o doente. Os lapsos de consciência tornam o sofrimento mais leve para o paciente, enquanto sua família e seus amigos têm que assisti-lo perder a memória e a coordenação pouco a pouco. Para Charles Sasser, de Albuquerque, no Novo México, uma das piores partes de ver seu pai sofrer com a doença degenerativa foi vê-lo perder a fala.

Nos últimos seis meses, o idoso não disse quase alguma palavra, apenas balbuciando poucas coisas para se expressar. Um vídeo gravado pelo filho mostra o impressionante efeito da presença do animal doméstico. Quando o cachorro Roscoe se aproxima de seu pai lhe oferecendo um brinquedo que parece ser um osso, o idoso consegue, com dificuldade, falar com o animal.

“Ah, sim, olá! Você tem, você tem alguma coisa! Você tem alguma coisa, não?”, pergunta ele, segurando o brinquedo. Depois, o idoso segue a conversa com o Roscoe. “Isso é tudo. Isso é tudo que eu tenho. Por que eu não tomo conta… Eu tomo de você. Você toma de mim”, diz ele. Mais tarde, ele é flagrado abaixado para fazer carinho no cão, que está deitado dormindo.

Fonte: Extra 

Veja também:
Alzheimer: vídeo de 1 minuto mostra como são os sintomas
Alzheimer: a mais didática explicação que você verá

Gostou?

Compartilhe!

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS