Homens levam seus cães para passear, ou são levados pelos cães?

Nenhum ser humano me deu jamais a sensação de ser tão totalmente amada como fui amada sem restrições por esse cão.
Clarice Lispector

Observo, atentamente, o passeio de um homem com o seu cão, nas primeiras horas do dia.
Como é bonito… Quanta camaradagem e amizade demonstrada ao seu animal!
Gestos de carinho, afagos nas orelhas e nos pelos.

Vão caminhando… O cão à frente e o homem um pouco mais atrás, segurando a comanda com lassidão. O cachorro cheira a grama para fazer suas necessidades fisiológicas e marcar o território. O homem espera, calmamente!

Lá na esquina, um pouco adiante, o som de uma buzina. É uma pessoa irritada com o condutor de outro carro que, por alguns segundos, se distrai no semáforo.
Mas, voltemos nosso olhar para os caminhantes…
Agora é o cachorro que leva seu dono; é ele que puxa e escolhe a trilha.

O homem retruca brevemente, diz palavras de comando, todavia está certo de que não será obedecido. Não demonstra raiva, contrariedade, muito menos desejo de estabelecer a lei do mais forte. Acata, deixa-se levar pelo amigo…
Na redondeza, há casas com jardins bem cuidados, avenidas amplas e tranquilas e portões altos e seguros.

As crianças saem apressadas de suas casas, talvez, porque estejam atrasadas para a escola ou, quem sabe, os pais é que se apressam para chegar pontualmente em seus serviços. O som é de portas batendo com vigor e do arranque do carro, o que faz um contraste com o passeio do homem e seu cão.

Contrastes, paradoxos, ambiguidades, vicissitudes do viver…

A vida pede água, pausa, descanso, e o fim de semana chega para a alegria de todos. O anseio é dormir até mais tarde… No entanto, um homem sai bem cedo para levar seu cão a se exercitar. Estando frio, o cachorro e seu amigo estarão bem agasalhados, e… Em algum canto da cidade há quem durma ao relento; um andarilho, quem sabe? As pessoas passam por ele sem o notar ou fingem não vê-lo.

Gratificante é observar a expressão humana no homem ao se relacionar com o animal; por outro lado, é triste constatar que a relação existente entre os humanos, ainda é precária.

Diziam os antigos, quando queriam se referir a uma vida difícil, ”vida de cachorro”. Quiçá, nunca venhamos ouvir a expressão “vida de homem”…

Essa é uma paisagem da vida e, isto é o registro e o entendimento do olhar de um simples transeunte que deseja se comunicar.

P.S. Um cão encontra outro cão e os dois farejam-se, e por meio deles, os donos começam a conversar.

Imagem de capa: Jaromir Chalabala/shutterstock

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Eliete Cascaldi

Psicóloga , escritora e avó apaixonada pelo seu neto e pela vida. Autora do livro “Varal de sonhos” e feliz demais com os novos horizontes literários que se abrem.


COMENTÁRIOS