Hoje estou de saco cheio, por Josie Conti

Por Josie Conti

Tem dias em que fica fácil entender porque a indústria farmacêutica lucra bilhões com promessas de medicações que curam os mais diversos estados de humor.

Hoje, por exemplo, eu precisaria de uma medicação potente para tratar problemas de “saco cheio”.

Estou de saco cheio de ler comentários de pessoas que, depois de um parágrafo, julgam que entenderam todo um contexto e partem para ataques ferinos contra todo conteúdo (aquele mesmo, aquele que não leram).

Estou de saco cheio para lidar com pseudointelectuais que, depois de decorar alguns conceitos de grandes pensadores, acham que podem explicar qualquer evento que acontece no mundo.  São aqueles “socialistas” que pregam a igualidade enquanto andam com o carro do ano do papai e tem o dinheiro da balada garantida. São aqueles que fazem doutorado só para colocar doutor na frente do nome ou que usam a profissão para reforçar a frágil identidade.saco cheio

O povo não entende texto porque não aprende. E, para aprender, antes de qualquer coisa, é preciso ser humilde. Os intelectuais criticam escritores como Paulo Coelho, mas não percebem que qualquer fonte de leitura é porta para o hábito da aprendizagem autodidata. Desdenham de autoajuda mas não percebem que, quando alguém esta aberto para evoluir, uma palavra no lugar certo pode ter mais efeito que 10 anos de análise. Fazem pouco de quem tem fé, mas não são capazes de enxergar o lado bom das religiões.

Hoje estou de saco cheio para quem não tem o mínimo de bom senso e acha que as coisas têm que cair do céu, para quem não se esforça para conseguir o que quer, para quem não se empenha nem para interpretar um texto e agride estranhos para aliviar suas frustrações pessoais.

Estou de saco cheio para quem não consegue ver as coisas com humor, perceber nuances e detalhes que, mesmo frente a algo sério, poderiam abrir perspectivas e sorrisos.

Estou com o saco cheio para pobre que quer parecer rico, para rico que quer parecer milionário e para político que finge que é honesto.

Declaro, entretanto, saco aberto para quem sabe e QUER conversar, para quem quer crescer e não acha que tem que provar algo mesmo que esteja errado.

Sinceramente, acredito na importância da tolerância e da aceitação, mas hoje estou realmente de saco cheio. Preciso urgente que um caminhão de lixo leve tudo isso que está acumulado.

Registro aqui meu descontentamento e meu desejo por uma vida com mais conteúdo e menos saco cheio.

COMPARTILHE
Josie Conti
Blogueira e empresária. Após trabalhar anos como psicóloga, abandonou o serviço público para manter seus valores pessoais. Hoje, a Josie Conti ME e sua equipe trabalham prioritariamente na internet na administração funcional, editorial e publicitária de redes sociais e sites como A Soma de Todos os Afetos e Psicologias do Brasil, além de várias outras fan pages que totalizam cerca de 6.5 milhões de usuários. É idealizadora da CONTI outra, o projeto inicial que leva seu nome.



COMENTÁRIOS