Gratidão é uma coisa cara que faz da vida o maior barato.

Olha, eu não sei se você acredita nessas coisas. Eu acredito. Comigo dá certo sempre e com você não há de ser diferente. É que eu rezo, sabe? Rezo de manhãzinha. Depois, várias vezes durante o dia até a noite eu agradeço. Agradeço mesmo. Assim, no duro! Agradeço a Deus! Aperto os olhos e penso comigo: “Obrigado, Meu Deus! Muito obrigado!”

Levo a maior fé nas coisas divinas, nas altas esferas, nas razões do imponderável. Tanto que vou rezar por você, pessoa amiga que anda assim, macambúzia, abatida, apertada de angústia. Não precisa se preocupar, não vai custar nada. Descanse. Essa história de tristeza vai passar e depois você e eu e a turma vamos rir disso tudo. Eu acredito.

Dia desses encontrei uma pessoa boa, amiga antiga, moça que conhece você também. Ali, em nossa conversa de calçada, coisa breve, repassamos a vida inteira. “Lembra de fulano? Que fim deu? E o beltrano, ah, era tão engraçado! A sicrana eu vejo de vez em quando. Diz que anda feliz!” Falamos tanto e o mundo passando. Lembramos os velhos, acolhemos os novos. E falamos de você. Ahh… nós falamos tanto de você!

Eu não tenho muito, sabe? Nunca tive. Assim, na ponta do lápis, somo duas calças compridas, meia dúzia de camisetas, essa jaqueta surrada como a sexta-feira, uma camisa de botão, pequenas porções de comida, dois tostões aqui e ali. É que eu também acredito que assim, levando tudo aos pouquinhos, fica mais fácil seguir em frente. Sobra mais espaço para o que importa mesmo. E o que importa mesmo começa e termina no afeto da nossa gente.

Agradeço, eu agradeço a Deus por você e eu termos nascido desse povo que agradece. Nessa vida o que vem é lucro. Estamos vivos, ué! Gratidão faz bem! Quando a gente agradece, o céu escancara uma porta enorme e deságua sobre nós um mundo de sorte. Agradecer é o jeito mais simples de renovar o nosso visto de permanência aqui embaixo. Quer ficar? Tem de merecer. E você merece, você merece muito. Não repare, não. Mas eu dei de pensar nos amigos com gratidão.

Você me desculpe se pareço assim meio aborrecido, mas é que hoje eu acordei com uma vontade honesta de pedir por você. Peço mesmo, peço descaradamente que o Senhor lá no Céu conserve a sua saúde forte e franca aqui embaixo. E agradeço de novo. Agradeço por estarmos vivos num mesmo tempo e quase no mesmo espaço. Perto um do outro apesar das distâncias. Ter você entre essa gente que me é tão cara, acredite, é o maior barato. E isso não é pouco. Isso não é pouco, não.

COMPARTILHE
André J. Gomes
Jornalista de formação, publicitário de ofício, professor por desafio e escritor por amor à causa.



COMENTÁRIOS