Fotógrafo capta olhares e experiências de pessoas sob efeito de drogas

O fotógrafo mexicano Les Baker (seu pseudônimo) sempre foi curioso para saber como diferentes drogas alteram as expressões dos usuários, além de suas percepções. Então, ele decidiu elaborar uma série de fotos interessantes que mostram os olhares peculiares de pessoas sob o efeito de narcóticos. Baker nomeou esse projeto de “Inebri-nation”.

Mais do que observar as alterações faciais nos usuários, Baker quis entender como algumas drogas afetam seus cérebros: as fotografias e informações sobre as experiências dos usuários contribuem para a facilitação desse entendimento.

No início do projeto, ele tratou de convocar alguns adeptos interessados em colaborar. Antes de fotografá-los, ele pediu que cada pessoa usasse uma droga diferente, no intuito de que todos servissem como modelos representativos das drogas em estudo.

Segundo o fotógrafo:

“Os indivíduos apresentados nessa série mostram a diversidade daqueles que usam substâncias para alterar a mente. Eles incluem estudantes, servidores públicos, médicos, advogados, políticos, mães, pais, artistas, professores, policiais, bombeiros e juízes.”

Enquanto estiveram sob a influência das substâncias, todos os colaboradores foram retratados, e suas experiências, registradas. Dessa forma foi possível mensurar, durante o ápice da “brisa”, como eles pareciam de fora e por dentro.

Baker nos mostra os vários efeitos provenientes das drogas utilizadas, bem como as expressões faciais que também informam muito sobre as condições dos usuários, considerando que seus cérebros estavam artificialmente alterados.

Esse projeto de Baker é um olhar poderoso sobre o uso ou abuso de drogas na sociedade; promove uma boa ideia das sensações inebriantes ou desagradáveis sentidas pelos usuários, incitando reflexões educativas sobre as consequências do consumo narcótico em termos de saúde e qualidade de vida.

Por milênios, seres humanos vêm encontrando diversas formas de ludibriar a mente, estimulados por propósitos variados. Seja para satisfazer uma necessidade de transcendência, para tratar problemas físicos ou psicológicos sob o respaldo da medicina, para cumprir uma regra cultural, para preparar o espírito em rituais religiosos, para fugir da realidade ou simplesmente para matar a curiosidade por experiências sensoriais fora do comum, pessoas recorrem à química, através de drogas legais ou ilícitas.

A propulsão social histórica pela ingestão de substâncias químicas intrigou Baker, que achou conveniente e bem informativo desenvolver esse projeto.

Vendo as imagens, já é possível projetar uma noção do que os indivíduos estão sentindo; quem já viveu a experiência sensorial por si só sabe bem dos efeitos relacionados.

A ideia básica é mostrar as sensações comuns que uma mesma droga provoca em seus adeptos. As transformações em seus rostos falam por si só.

Baker manipulou as imagens artisticamente, de modo que os rostos das pessoas foram adornados com os símbolos das substâncias ingeridas, e o resultado são faces graficamente desenhadas pelo conteúdo que representam.

Em entrevista para o site The Creators Project, Baker falou um pouco sobre as origens e motivações de seu projeto:

“Eu comecei a materializar essa ideia no meu trabalho como barman. Eu tenho trabalhado em todos os tipos de bares: discotecas, pubs, hotéis, restaurantes. Todos eles apresentam uma grande variedade de pessoas. Como barman, você sempre pode observar o grau de intoxicação de seus convidados. Depois de um tempo, você aprende a captar os sinais de várias substâncias que são utilizadas. Os olhos das pessoas sempre me fascinaram.”

De fato, os olhos de uma pessoa transmitem muito mais informações do que aquilo que interpretam. Não é tão fácil adivinhar o estado de uma pessoa apenas reparando em seu olhar, mas a própria suposição já é uma pista da verdade. Algumas facetas são inconfundíveis e demonstram exatamente o que parece; já outras são enigmáticas, imperceptíveis à uma primeira impressão.

O Inebri-nation faz lembrar de outros dois projetos fotográficos que abordam a questão do consumo de drogas e seu impacto na saúde: o do americano Bryan Lewis Saunders que, durante um ano inteiro, se propôs a ingerir uma droga diferente por dia e se autorretratar sob o efeito; e o do fotógrafo inglês Roman Sakovich, que mostra as surpreendentes diferenças fisionômicas de usuários de drogas antes e depois do uso das substâncias.

Com este projeto, Baker quis ilustrar algumas experiências que testemunhou enquanto fazia seu serviço como barman. Ele destacou os olhos de pessoas, de forma que essa visão penetrada oferece um caminho para se explorar as alterações na psique de cada uma delas.

Confira as fotos, junto das informações básicas sobre as drogas e experiências vividas pelos seus usuários, registradas pelo artista que os acompanhou:

1. Cafeína

les baker_8

“Milhões de pessoas dependem de seu copo de café da manhã a fim de se prepararem para o dia. A cafeína age como um estimulante, pode combater a sonolência e tornar um usuário mais alerta. Legal e não regulamentada, cafeína é a droga psicoativa mais usada no mundo. Nos EUA, 90% dos adultos consomem cafeína diariamente.”

2. Nicotina

les baker_14

“Tabaco foi fundamental para o desenvolvimento das colônias do sul no início da América, até que o algodão substituiu. Pequenas doses podem provocar efeitos estimulantes e também relaxantes. A nicotina é historicamente conhecida como um dos vícios mais difíceis de quebrar.”

3. Cerveja

les baker_12

“Enquanto esta é provavelmente uma das substâncias mais comuns utilizadas, achei importante incluí-la na série. Este homem passou a noite toda em um bar, consumindo apenas cerveja.”

4. Bebida destilada

les baker_13

“A maioria das pessoas têm partilhado a experiência com bebidas destiladas. Uma noite fora tomando dose após dose: todos sabemos quais são os efeitos proporcionados.”

5. Maconha/THC

les baker_6

“A maconha é a substância recreativa mais utilizada no mundo, atrás apenas do álcool. Nos últimos anos, tal droga ganhou muito respeito por seus legítimos propósitos medicinais. Ela está rapidamente perdendo seu senso de tabu e tornando-se mais facilmente, legalmente e prontamente disponível do que nunca, do que se vê pela legalização da substância em estados americanos como Colorado e Washington (além de Alasca e Oregon). O público americano logo vai descobrir se taxar e controlar esta substância será benéfico para a economia do país.”

6. Cocaína

les baker_3

“Esta foi uma aventura ocorrida durante toda uma noite, que começou com um par de bebidas em um bar local. Esta participante relatou que, após alguns drinks, foi propensa a adquirir um saquinho de cocaína para ‘manter o nível’. A cocaína dá a seus usuários efeitos colaterais, incluindo aumento de vigilância, sensação de bem-estar e euforia. A noite terminou por volta das 4:00, após uma reunião com um grupo de amigos na casa de um deles.”

7. LSD

les baker_2

“Este encontro envolveu uma jovem moça que tomou dois ácidos inteiros. Passei o dia com ela em um parque. Ela observou visuais intrincados e cores mais vibrantes, com um senso psicodélico dos arredores.”

8. Crack

les baker_4

“Esta noite foi uma das mais interessantes. Observei-o converter a cocaína para a versão fumável, o “crack”, que recebe seu nome a partir do som que faz quando está sendo fumado. Este rapaz explicou que estava se sentindo mais energizado, mais alerta e mais sensível à visão, audição e tato.”

9. Ecstasy/MDMA

les baker_7

“Ela tomou uma dose de ecstasy puro, também conhecido como “Molly”. Usuários de ecstasy podem experimentar euforia mental e física, aumento da empatia, sociabilidade, perspicácia e sensações tácteis melhoradas. Essa droga tem sido utilizada em terapia de casais, e também é conhecida como abordagem no tratamento para transtorno de estresse pós-traumático (TEPT). Este participante passou o resto da noite dançando com os amigos.”

10. Metanfetamina

les baker_9

“Eu encontrei este homem vagando pelas ruas em uma noite quente de verão; ele estava vestindo uma jaqueta de inverno sem camisa. Durante nossa conversa, ele me contou sobre como conversou com anjos sobre a sua longa luta contra a metanfetamina. Ele descreveu a sensação como uma súbita onda de prazer, aumento de energia, foco e autoconfiança.”

11. Cetamina

“A cetamina tem ganhado terreno como uma alternativa mais barata do que ecstasy ou cocaína. Este usuário descreveu que estava vendo coisas e pessoas como se fossem peças de brinquedo Lego. Ele sentiu que tudo estava ficando menor; seu plano de visão lhe pareceu minimizado.”

12. Psilocybe (cogumelos)

les baker_5

“Este rapaz tomou cogumelos alucinógenos do gênero Psilocybe antes de sairmos para uma discoteca local. A música alta, telas de LED brilhantes e lasers proporcionaram uma “viagem” perfeita para ele. Psilocibina tem sido conhecida por tornar as cores mais vivas, e pode aumentar a clareza do som. Alguns usuários também relataram uma conexão maior com a natureza, se tomada em proporções adequadas.”

13. Oxycontin

les baker_10

“Este homem é um veterano da Guerra do Vietnã que vem dependendo de analgésicos durante os últimos 20 anos. Alguns usuários experimentam uma resposta eufórica à opiáceos, uma vez que estes medicamentos também afetam as regiões do cérebro envolvidas no sistema de recompensa. Aqueles que abusam de opiáceos muitas vezes procuram intensificar sua experiência ao tomar a droga em formas diferentes das prescrições usuais.”

14. Adderall

les baker_1

“Durante os últimos 7 anos, Adderall tornou-se cada vez mais popular entre estudantes universitários. Seus efeitos colaterais incluem um aumento da sensação de motivação, foco e concentração. Presumivelmente, esta é a mentalidade perfeita que permite aos usuários virar a noite, ler centenas de páginas de cada vez, e escrever textos longos com profundidade. O que muitos não percebem é quão amplamente este medicamento também é usado entre profissionais médicos.”

COMPARTILHE
Eduardo Ruano
Escritor e redator por hobbie e profissão. Me considero uma pessoa racional, analítica, curiosa, imaginativa e em constante transformação. Gosto de ler, escrever, correr, assistir séries, beber e viajar com os amigos. Estudioso de psicologia, filosofia e comportamento humano. Também sou interessado em arte, literatura, cultura e ciências sociais. Odeio burocracias, formalismos e convenções. Amo pessoas excêntricas, autênticas e um pouco loucas, até certo ponto. Estou sempre buscando novas inspirações para transformar ideias em palavras.



COMENTÁRIOS