Fotógrafas contam histórias incríveis das mulheres ao redor do mundo

Por Kate Abbey-Lambertz, viaBrasil Post

“Abra-se tanto quando puder… como se fosse um material sensível, jamais exposto”, disse uma vez a famosa fotógrafa documentarista Dorothea Lange.

O talentoso grupo de 11 fotojornalistas mulheres que participa da exposição do National Geographic “Women of Vision” (ou “Mulheres de Visão”, em português) parece ter se inspirado nas palavras de Lange: elas já se aventuraram em todos os cantos do mundo, com mentes e olhos bem abertos, e voltaram com resultados espetaculares.

A exposição, em exibição no Instituto Cranbrook de Ciência, em Bloomfield Hills, Michigan, foi concebida por Kathryn Keane, vice-presidente de exposições da National Geographic, e com curadoria da editora de fotos sênior da revista, Elizabeth Krist. Em uma conversa publicada na National Geographic, as duas mulheres falaram sobre como elas ficaram impressionadas com o número de mulheres fotógrafas, na última década, que trabalhavam em ambientes extremos e situações perigosas para trazer histórias importantes para a revista.

ujood Ali surpreendeu o mundo em 2008 ao se divorciar com dez anos no Iêmen, dando um grande passo contra casamentos forçados. Foto de Stephanie Sinclair, cortesia da National Geographic "Mulheres de Visão"
Nujood Ali surpreendeu o mundo em 2008 ao se divorciar com dez anos no Iêmen, dando um grande passo contra casamentos forçados. Foto de Stephanie Sinclair, cortesia da National Geographic “Mulheres de Visão”

“Muitas fotógrafas trabalhavam para jornais em suas cidades natal; muitas eram as únicas mulheres trabalhando na redação”, disse Keane. “Elas tiveram razões diferentes para entrar na área, mas uma vez que começaram a fotografar profissionalmente, tiveram experiências semelhantes, e então, seus interesses pessoais as trouxeram de volta para direções diferentes. … Várias vezes essas mulheres não tinham recursos, elas tinham muito pouco apoio e mesmo assim foram levadas para conseguir as histórias que começaram “.

Enquanto uma ampla gama de trabalho pode ser vista na exposição, é impressionante perceber como muitas das fotógrafas têm um olhar profundo e sutil nas vidas de mulheres de todas as idades: desde uma jovem mulher que foi pressionada pelo grupo a fazer um piercing a uma garota iemenita que se livrou de um casamento infantil.

“Acho que as mulheres são mais propensas a se concentrarem em questões que realmente importam para as mulheres, seja mortalidade materna, agressão sexual ou crianças noivas”, disse Krist à National Geographic. “E então eu sinto que é importante manter os números lá em cima de mulheres que estão realmente saindo a campo e cobrindo esses tipos de problemas.”

A exposição inclui o trabalho das fotojornalistas Erika Larsen, Kitra Cahana, Jodi Cobb, Amy Toensing, Carolyn Drake, Beverly Joubert, Stephanie Sinclair, Diane Cook, Lynn Johnson, Maggie Steber e Lynsey Addario, onde todas tem contribuído para a National Geographic. Abaixo, veja algumas das imagens que trazem à luz histórias de mulheres de todas as partes do mundo:

Jodi Cobb

“Eu estava tentando fazer imagens de vítimas que não se revitimizam”, disse Cobb ao Wall Street Journal ao falar sobre a primeira imagem abaixo. “Você não quer que as pessoas se afastem, você quer atraí-los.”

Prostitutas, são conhecidas como meninas engaioladas são, muitas vezes, escravas sexuais, exibem-se em uma rua de Mumbai. Foto de Jodi Cobb, cortesia da National Geographic "Mulheres de Visão".
Prostitutas, são conhecidas como meninas engaioladas são, muitas vezes, escravas sexuais, exibem-se em uma rua de Mumbai. Foto de Jodi Cobb, cortesia da National Geographic “Mulheres de Visão”.
NGS Picture ID:985675
Uma mulher em Florença, na Itália, saboreia uma mensagem recebida em um cartão postal. Foto de Jodi Cobb, cortesia da National Geographic “Mulheres de Visão”.

Stephanie Sinclair

“O pior dia não é quando minha segurança está em risco, é quando eu não consigo tirar as fotos que eu quero”, disse Sinclair. “Você tem uma chance de conseguir que essas vozes sejam ouvidas, então todos os dias contam.”

Stephanie Sinclair "O pior dia não é quando minha segurança está em risco, é quando eu não consigo tirar as fotos que eu quero", disse Sinclair. "Você tem uma chance de conseguir que essas vozes sejam ouvidas, então todos os dias contam."
Uma tenente da unidade de elite de contraterrorismo do Iêmen, patrulha o quartel das mulheres. Foto de Stephanie Sinclair.

Carolyn Drake
“Para mim,” Drake disse ao blog Lens, em 2011, “o jornalismo e a arte não estão realmente separados.”

Uighurs
Em Hotan, na cidade de Uygur, com uma crescente população chinesa Han, os uygures socializam em suas próprias casas noturnas. Foto de Carolyn Drake, cortesia da National Geographic “Mulheres de Visão”.

Lynsey Addario

“Isso é o que eu cubro,” disse Addario ao Comitê de Proteção aos Jornalistas em uma entrevista depois que ela foi mantida em cativeiro na Líbia em 2011. “Eu vou voltar, e exercer o máximo de cautela quanto eu puder, mas vou cobrir conflitos.”

Mulheres - principalmente viúvas - treinam para realizar trabalhos policiais em um campo de tiro perto de Cabul. Foto de Lynsey Addario, cortesia da National Geographic "Mulheres de Visão".
Mulheres – principalmente viúvas – treinam para realizar trabalhos policiais em um campo de tiro perto de Cabul. Foto de Lynsey Addario, cortesia da National Geographic “Mulheres de Visão”.

Maggie Steber

“Palavras e imagens juntas são uma ferramenta muito poderosa. Na verdade, juntas, essas são as coisas mais poderosas do mundo. Muito mais do que espadas e armas, porque juntas elas têm o poder de informar e mudar mentes”, disse Steber ao National Geographic. “Mas eu acho que quando você está escrevendo algo, você tem que comunicar de uma forma que as pessoas possam aprender algo e resolvam isso por si mesmos. Fotografias são uma coisa completamente diferente. As fotos se comunicam com uma parte diferente do seu cérebro. Nenhuma palavra seria capaz de descrever como era sua mãe aos 20 anos quando o luar iluminou seu rosto de uma maneira única. Apenas uma fotografia pode lhe mostrar isso”.

Quatro jovens irmãs tiram uma soneca, em uma tarde de domingo, em uma cama, em Miami, na Florida, depois de frequentar a igreja. Foto de Maggie Steber, cortesia da National Geographic "Mulheres de Visão".
Quatro jovens irmãs tiram uma soneca, em uma tarde de domingo, em uma cama, em Miami, na Florida, depois de frequentar a igreja. Foto de Maggie Steber, cortesia da National Geographic “Mulheres de Visão”.

A exposição “Mulheres com Visão: Uma Coleção de Fotógrafas da National Geographic” está em exibição no Instituto de Ciência Cranbrook em Bloomfield Hills até 30 de dezembro, antes de seguir para o Centro de Fotografia de Palm Beach em West Palm Beach, na Flórida, em janeiro.

Gostou? Compartilhe!

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS