Fortes, independentes e empoderadas: 10 filmes com mulheres protagonistas

Mulherada em cena! Cansada dos filmes em que a mulher – que está sempre em segundo plano – é o sexo frágil, mãe recatada, moça do lar, contida e dependente? Pois bem, segue uma listinha de filmes cheios de mulheres criativas, sonhadoras, resilientes e independentes – mulheres maravilha da vida real, representadas no cinema.

Nise: O coração da loucura

Década de 50. Nise, vivida por Glória Pires, é uma psiquiatra brasileira idealista e dedicada que é encarregada de cuidar do setor de Terapia Ocupacional de um hospital Psiquiátrico do Rio de Janeiro. Isolada pelos profissionais da instituição, por ter pensamentos contrários aos tratamentos convencionais, a médica tenta dar andamento ao seu trabalho com ajuda da arte.

Que horas ela volta?

Val (Regina Casé) é uma pernambucana que mora e trabalha “tranquilamente”, como empregada, em uma casa em São Paulo, para dar melhores condições de vida à sua filha, que mora em seu estado de origem. Essa “tranquilidade” é perturbada quando a tal filha (Jéssica, interpretada por Camila Márdila) resolve passar uns dias em São Paulo para prestar vestibular.

As sufragistas

Baseado em fatos reais, As Sufragistas conta (com um elenco de peso) a história do início da luta do movimento feminista e mostra um pouco do cenário – desigual e opressor – enfrentado pela mulher no início do século XX, na Inglaterra.

Estrelas além do Tempo

A história – também baseada em fatos reais – aqui é a de Katherine Johnson (Taraji Henson), uma brilhante matemática afroamericana que trabalha junto com suas amigas, Dorothy e Mary, colaborando para uma das maiores operações dos USA: o lançamento do astronauta John Glenn para a órbita da Terra. Apesar de brilhantes e talentosas, as moças têm de ralar muito para alcançarem seus objetivos, afinal, são todas mulheres negras em um cenário majoritariamente branco, masculino e preconceituoso.

Para sempre Alice

Alice (Julianne Moore) é uma competente e renomada professora que vive uma vida confortável com seu marido, até o momento em que é diagnosticada com um raro tipo de Alzheimer. Diante da doença, Alice terá que modificar toda a sua rotina e se adaptar de todas as maneiras possíveis para não atrapalhar seus entes queridos, nem se esquecer de quem é.

Carol

Carol (Cate Blanchett) é uma mulher rica e elegante cujo casamento está com os dias contados. Ao sair para comprar um presente para sua filha, Carol conhece Therese (Rooney Mara) e as duas iniciam um romance que trará repercussões tanto na vida de Carol como mãe, quanto na vida de Therese, que terá que enfrentar a todos para poder viver tal romance em plena década de 50.

Frances Ha

Frances é a chamada anti-heroína. Sonhadora, idealista e sempre de bom-humor, a jovem almeja viver da dança. A vida, porém, mostra-lhe que não é bem assim. A juventude independente tem suas pedras no caminho e Frances é obrigada a confrontar todas elas enquanto assiste seus amigos crescerem na vida.

Veja também:

21 filmes perfeitos para ver na Netflix (lista atualizada)

Frida

O filme conta um pouco da história da famigerada Frida Kahlo (Salma Hayek), renomada pintora e inspiração para o movimento feminista. Frida que, em sua juventude, sofreu um acidente que lhe rendeu dores e dificuldades físicas até o fim da vida, enfrentou também o machismo em seu ramo e a montanha russa que era o seu romance com o pintor Diego Rivera.

Aquarius

Clara (Sônia Braga), de 65 anos, é uma escritora e crítica de música que mora sozinha em um apartamento em Boa Viagem, em um edifício chamado Aquarius. Seu cotidiano é perturbado quando uma construtora resolve comprar todos os apartamentos do prédio para colocar em prática um novo projeto. Muito apegada à história e aos afetos que seu apartamento carrega, Clara entra numa guerra fria contra a construtora e seus sócios.

Terra Fria

Após seu divórcio, Josey Aimes (Charlize Theron) volta à sua cidade natal em busca de um emprego e de uma vida mais estável. Mãe solteira, Josey se vê obrigada a trabalhar nas minas de ferro, maior fonte de renda da cidade e ramo que oferece também os cargos mais bem pagos. O trabalho exige força e determinação, mas o que começa de fato a lhe incomodar é o assédio constante dos homens com quem trabalha.

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Mísia Morais

Paraibana (Campinense) estudante de Psicologia que tem a cabeça nas nuvens, pés no chão e um fraco por causas perdidas.


COMENTÁRIOS