Eu só queria um amor…

Imagem capa: Jacob Lund, Shutterstock

Amor verdadeiro, verdadeiro amor
Eu só te queria sincero, intocável e crescente
Leal, sereno e excitante
Te queria puro, leve e intenso
Tudo ao mesmo tempo, e mais, muito mais…

Eu só queria um amor verdadeiro
Que fosse sincero, intenso, intocável
Que pudesse ser vivido com liberdade e suavidade,
Com a certeza de que, poderia o mundo virar de ponta cabeça,
Ele permaneceria o mesmo.

Mas, por favor, um amor que não fosse desses de novela,
Pois não gosto de meninas oferecidas, mocinhos do mal, bruxas ou tragédias para deixar a história “mais emocionante”
Também não gosto que as coisas deem certo apenas no final…

Queria, na minha vida, alguém que não pronunciasse “eu te amo” à toa, mas tão somente quando o sentimento fosse equivalentemente grandioso
Queria constância, solidez, intensidade e leveza.

Eu gostaria de alguém com quem pudesse ficar à vontade, ser eu mesma, em tempo integral
Que não precisasse me preocupar se eventualmente estou de cara lavada ou com uma roupa velha e sem graça

Queria alguém que me desejasse mesmo de pijamas e de cabelo molhado numa tarde de domingo…
Queria alguém que comprasse, verdadeiramente, os meus devaneios
Que se interessasse nos meus sonhos e ajudasse a torná-los realidade
Que risse dos meus defeitos, e se divertisse com a minha “desastrice”…

Queria alguém que confiasse em mim plenamente, que não ficasse me investigando
Alguém, sobretudo, que eu não precisasse vigiar,
Pois, mesmo que olhasse para os lados, eu saberia que o seu coração (e o seu corpo) seriam sempre exclusiva e totalmente meus…

Queria alguém que não necessariamente me garantisse fidelidade perene
Mas que comigo firmasse um pacto eterno de lealdade
Em quem eu pudesse confiar de todo o meu coração
Pois teria absoluta certeza de que jamais iria machucá-lo.

Eu queria tanto um amor que não me trouxesse angústia
Que não me fizesse ficar pensando em formas de garanti-lo
Que não me gerasse dúvidas constantes da sua integridade
E que me permitisse um mergulho destemido em suas profundezas…

Queria alguém tranquilo, sereno e sensato
Mas, às vezes, entusiasmado, doidinho e arrebatador
Para contrabalançar minhas mudanças de humor…

Queria, afinal, alguém que verdadeiramente se importasse com o nosso amor
Para quem não houvesse mau tempo, crise econômica ou problemas no trabalho que preponderassem sobre a alegria constante de termos um ao outro
Alguém que sempre estivesse disponível quando eu precisasse de apoio
E que ficasse sempre do meu lado, me defendendo do mundo, ainda quando precisasse me dar “puxões de orelha”…

Eu só queria alguém que fosse, de verdade e ao mesmo tempo, amigo, amante e irmão
A minha luz, o meu porto seguro, a minha certeza
Um ser afeto a detalhes, preocupado em surpreender
Alguém que, até mesmo, me puxasse de volta, para encostar os pés no chão, quando eu estivesse “voando” demais
Apesar de, na maior parte do tempo, me fazer crer estar nas nuvens…

Gostaria de alguém que não se entregasse às acomodações que o tempo costuma trazer
E que despertasse, cotidianamente, o melhor que há em mim.
Queria, acima de tudo, um amor que despertasse em mim a vontade de ser assim, bem desta forma, para ele também…

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS





Susiane Canal
“Servidora Pública da área jurídica, porém estudante das questões da alma. Inquieta e sonhadora por natureza, acha a zona de conforto nada confortável. Ao perder-se nas palavras, busca encontrar um sentido para sua existência...”

COMENTÁRIOS