E se o final de semana não existisse?

Por Stephanie Gomes

Quando paramos para refletir sobre o que estamos fazendo com a nossa vida, duas perguntas bastante comuns que fazemos são:

– E se não houver amanhã?
– Se eu não precisasse de dinheiro para viver, o que faria para ocupar a minha vida?

São perguntas simples, mas às vezes difíceis de responder, porque não conseguimos realmente acreditar que essas hipóteses são possíveis, porém, encontrar a resposta para elas pode dizer muito sobre nós mesmos. É bom, de vez em quando, parar para fazer essas (e outras) perguntas a si mesmo.

Para incluir na lista de questionamentos que você deve se fazer, proponho mais uma pergunta, que provavelmente você nunca se fez: E se os finais de semana não existissem? Se você prefere nem imaginar ou sente desespero só de pensar nisso, é hora de refletir sobre o que tem feito da sua vida e repensar sua rotina.

Tudo o que você faz de prazeroso acontece nos finais de semana? Você vê sua família e amigos apenas aos sábados ou domingos? Deixa para praticar seus hobbies, relaxar, passear e se divertir apenas nos dias não úteis?

o-SMILE-570

Como você viveria então se não existissem esses dois dias sagrados na semana? E se você tivesse que incluir coisas que gosta de fazer dentro dos dias úteis, como seria? Pensando na sua rotina atual, isso seria possível? Você continuaria sendo feliz fazendo o que faz agora, mesmo sem direito a um ou dois dias de descanso?

Existem pessoas que sequer se abalaram ao pensar na hipótese de viver para sempre apenas com dias úteis. São aquelas que amam o que fazem e que sabem equilibrar bem seu tempo entre prazer e obrigações. É o seu caso? Se não, talvez você ainda assim seja uma pessoa feliz, porém dependente do fim de semana. Pode ser que você adore sua profissão, mas tenha uma rotina cansativa e precise dos dois dias para fugir dela. Ou talvez você seja mais um dos que, por se sentirem tão completamente descontentes com o que fazem, jogaria tudo para o alto ou enlouqueceria se os finais de semana deixassem de existir. Com qual dos casos você se identifica?

O objetivo dessa reflexão é fazer você enxergar que a felicidade deve estar presente todos os dias. Se você limitá-la aos finais de semana, será feliz durante menos que a metade da sua vida. Não vale a pena! Portanto, além do já conhecido conselho “viva como se não houvesse amanhã”, coloque também entre os seus lemas: viva como se o fim de semana não existisse. Não dependa do sábado e domingo, direcione a sua vida de maneira que não precise mudar nada e consiga ser feliz mesmo se algum dia decretarem a extinção do final de semana.

Se você está esperando o próximo sábado para fazer algo, pare de esperar e faça hoje. Se o seu trabalho não te traz nenhuma alegria, comece a procurar outro ou trabalhar em um projeto seu. Se a sua rotina te entedia, dê um jeito de incluir nela alguma atividade diferente que você goste de fazer. Se, quando o fim de semana chega, você só pensa em descansar, desacelere sua vida nos outros dias. Se você só tem tempo para ver os amigos e a família no sábado ou domingo, escolha um dia para substituir algo da sua rotina por estar com eles.

Não permita que sua vida seja uma proporção de cinco dias vazios para dois curtidos. Por mais que haja um ou outro em que seja necessário se dedicar totalmente às obrigações e não reste tempo para mais nada, não deixe que isso se torne rotina.

FONTE INDICADA: Desassossegada

Nota da CONTIoutra: os textos de Stephanie Gomes são publicados neste site com o conhecimento e autorização da autora.

Você achou esse conteúdo relevante?

Compartilhe!

COMPARTILHE
CONTI outra
As publicações do CONTI outra são desenvolvidas e selecionadas tendo em vista o conteúdo, a delicadeza e a simplicidade na transmissão das informações. Objetivamos a promoção de verdadeiras reflexões e o despertar de sentimentos. Sejam sempre bem-vindos! Josie Conti



COMENTÁRIOS