Deseja profundamente. Vontade rasa não realiza nada.

Tu sabes. Tu sabes tanto que até te cansas de saber. Reclamar é inútil. Quanto mais tu lamentas, mais tu te afundas. Contestar é atirar longe o tempo precioso que te resta. Deixa de senões. Abandona tuas queixas e vai em frente. Se tu queres muito, tu fazes mais.

Querer pouco é nada senão uma afronta ao que desejas realizar. Quem quer mesmo, quer muito. Almeja em vontade profunda. O objeto de teus quereres há de se ofender de morte com desejos irrisórios e te dar as costas em partida. Se tu queres, queira em extraordinária abundância.

Há aqueles que perdem tempo desejando pessoas como nacos de carne num açougue fétido. Tal e qual um verme que se arrasta no chão frio de um banheiro úmido, esses detêm os mais rasteiros interesses, ridículos pedintes equivocados em sua sanha de possuir o outro. A eles aguarda ansioso o vasto e eterno limbo da burrice.

Existem ainda os que entregam os anos a guardar dinheiro e só. Pobres detentores de fortunas duvidosas, comprando com dinheiro uma vida pior. Sem viagens, sem amigos, sem amores mas com posses, provas medíocres de poder confuso. Mal percebem, mas fazem pouco mais que apinhar moedas em cofrinhos de plástico.

Enquanto isso, há os que mantêm o mundo em correto funcionamento. São os que investem a vida a ter além e não alguém. Esses não esperam possuir, deter, acumular. Mas se inclinam a realizar. A eles se juntam as melhores pessoas. Não para serem posses, mas para desejar em grupo, as mãos na terra, os olhos à frente e a alma no alto.

Tu és assim. Da cepa dos que querem adiante. Porque, tu sabes, querer em conjunto é atitude grandiosa. Esperança coletiva. Em grupo se cava mais fundo e se chega mais longe. Então vai e faz tua parte, ajuda o outro. Enriquece-te a ti e aos teus para além do dinheiro. E deseja profundo, que desejo raso realiza nada.

Escuta cá uma coisa. Ninguém, ninguém há de te ajudar até que tu mesmo te ajudes. Para além daqueles a quem tu haverás de se unir, há um mundo de gente com os olhos gordos de querer as mesmas coisas que tu almejas. E não tem para todo mundo, não. Nem todos cabem no sucesso que desejas com tanta força. Ou tu queres mesmo e incendeia tua alma em busca ou será aquele que nunca chegou lá.

Deseja. Constrói. Realiza em profundidade. Mas nunca, jamais, em nenhum momento e em tempo algum perde seu tempo desejando o que não será teu. Tu saberás o quê. Acredita. Na hora certa saberás do que te falo.

COMPARTILHE
André J. Gomes
Jornalista de formação, publicitário de ofício, professor por desafio e escritor por amor à causa.



COMENTÁRIOS