Depois dos 25 você percebe que precisa de mais tempo para realizar tudo que sonhou

Um belo dia você acorda e já não tem mais vinte e poucos anos, agora você já está quase na família dos trinta. Você imaginava que quando chegasse a esse ponto já estivesse no emprego dos sonhos, ganhando muito bem, junto do amor da sua vida, colhendo os frutos de uma vida de estudos e dedicação profissional. Contudo, as coisas não aconteceram bem assim.

Se você conseguiu ir morar sozinho, certamente não foi em um duplex. Agora você está alugando um pequeno imóvel e pagando os olhos da cara por isso. Sim, morar sozinho dá trabalho, você também já notou isso, mas nem de longe você pensa em voltar ao ninho familiar. A casa de seus pais era mais confortável, mas visitas para você nem sempre eram bem-vindas por lá e hoje você não abre mais mão da sua autonomia.

Agora você não precisa mais explicar que não foi abduzido por algum extraterrestre mal-intencionado quando resolve sair de casa sem avisar. A idade permite que você não precise dar satisfações. Você percebeu, com uma certa ansiedade, que a vida está se fazendo e que seja lá o que acontecer, os frutos serão colhidos lá na frente, não agora.

Você já entendeu que os amigos de verdade são aqueles que aceitam seus “nãos” tão bem quanto seus “sins”. Também já entendeu que aqueles que não aceitavam um “não” como resposta não eram tão amigos assim. Você não vai agradar todo mundo e tão pouco anseia por isso nessa altura. Você não entra mais em roubadas em nome das amizades, como fazia antes e isso é reconfortante. Agora você é mais seletivo e quer distância de amigos, amores, empregos e familiares tóxicos.

Você já percebeu que o amor da vida não tem data nem lugar pra chegar. Que as pessoas mais interessantes que conheceu estavam em lugares inesperados e não em grandes eventos nos quais você projetou imensas expectativas.

Cozinhar deixou de ser um passatempo e se tornou algo cotidiano. Sim, com certeza você gostaria de ter prestado mais atenção em como fazer aquele prato delicioso quando tinha mais tempo ou até mesmo gostaria de ter mais dotes culinários. Agora seu estômago depende da sua disposição.

Antes você ouvia que era jovem demais para realizar seus sonhos, agora os outros te dizem que é tarde demais para isso. E você entende que com o tempo e seus encargos fica um pouco mais difícil largar tudo e cair no mundo.

O seu lar é um cantinho especial, arquitetado por você. Com o melhor que conseguiu com móveis promocionais e objetos de liquidação, mas é onde você pode deixar as coisas do seu jeito e isso não tem preço. Você se sentiu como um cachorro em dia de mudança quando teve que fazer mercado pela primeira vez, comprar produtos de limpeza os quais nem sabia que existiam, quando teve que manejar alguns eletrodomésticos, quando entendeu que louças e roupas não se lavam sozinhas, contudo agora você já está expert em ordenar as coisas na sua casa.

Depois dos vinte e cinco a ideia de que somos imortais cai por terra. Possivelmente em algum ponto você teve que refletir acerca da morte ao presenciá-la rondando parentes, conhecidos ou amigos próximos.

Agora o tempo tem mais valor para você. Ele não deve mais ser desperdiçado levianamente e quando um filme não te agrada, por exemplo, você não perde mais tempo assistindo-o até o final.  Você passa a observar mais o que as pessoas fazem, e menos o que elas dizem e não tem mais paciência para enrolação.

Você vive plenamente a sua sexualidade. Você entende que um relacionamento tem que somar e não subtrair tudo aquilo que você, com sua independência, alcançou. Os manuais de conquista já não servem mais, se é que um dia serviram, e você compreende que a única forma de conquistar verdadeiramente alguém é sendo você mesmo.

Você não atende à todas as ligações telefônicas e passa a ser mais seletivo com tudo, inclusive com relacionamentos amorosos. Você entende que nunca as pessoas foram tão livres para começar e terminar relacionamentos, mas que o fim deles traz inevitavelmente dor. Dessa forma você aprendeu a ser mais responsável consigo e com os outros ao entrar em uma relação.

Emagrecer já não é tão fácil, mas você nunca esteve tão confortável com seu corpo. Você aprendeu a se cuidar sozinho.

Você descobre que a sua própria companhia é maravilhosa. Que a alucinação da juventude ficou no passado, agora você age com mais segurança e ponderação. Sabe de cor e salteado que é caindo que se aprende a levantar. Você entende que ninguém é perfeito e que a vida não se faz sozinha. Que a vida acontece diferente para cada um, em um tempo particular que merece ser respeitado sem um pessimismo desconcertante ou uma animação alucinada.

Você descobriu que seus sonhos dependem de suas próprias iniciativas para se tornarem reais e que isso pode levar algum tempo, mas você não liga para isso, afinal você agora sabe que ainda está no começo da vida.

Acompanhe a autora no Facebook pela sua comunidade Vanelli Doratioto – Alcova Moderna.

COMPARTILHE
Vanelli Doratioto
Vanelli Doratioto é uma escritora paulista, amante de museus, livros e pinturas que se deixa encantar facilmente pelo que há de mais genuíno nas pessoas. Ela acredita que palavras são mágicas, que através delas pode trazer pessoas, conceitos e lugares para bem pertinho do coração.



COMENTÁRIOS