Casamento sem afeto: uma realidade que adoece muitas pessoas.

É muito triste perceber tantos relacionamentos falindo, mais triste ainda é perceber o que está por trás de algumas dessas rupturas de alianças. Por incrível que pareça, existem muitos casais se separando porque estão desnutridos emocionalmente, exatamente isso, os cônjuges não trocam, de forma satisfatória, o contato físico. São casais constituídos por pessoas que, possivelmente, se amem, porém, por alguma razão reduziram ou pararam com o contato físico tão necessário para alimentar a conexão entre eles.

Alguns casamentos teriam tudo para serem muito felizes, porém, por um descuido, um problema se instala e vai se agigantando até tornar-se irreversível. É estarrecedora essa constatação, mas baseado em desabafos que tenho ouvido, tanto de homens quanto de mulheres, alguns casamentos chegam à ruína porque carinhos tão simples como um abraço deixaram de fazer parte do cotidiano do casal, os beijos, que no início eram sempre demonstração de desejo e afeto, transformaram-se em discretos selinhos, e olhe lá.

Tudo indica que os casais focam a sua atenção em muitas questões, porém, pouco a pouco vão negligenciando algo que é vital para a relação: o toque. Por vários descuidos, os cônjuges vão se desconectando emocionalmente e fisicamente e, quando caem em si, já existe um muro gigante entre eles. Acredito que nem todas as pessoas tenham consciência do quão importante é o contato físico, especialmente para a mulher.

Sabemos também, que algumas pessoas valorizam mais do que outras essa comunicação corporal, entretanto, ela deve sempre estar presente dentro de um relacionamento afetivo. Um abraço, por exemplo, transmite muitas sensações como o acolhimento, o relaxamento, a sensação de segurança etc. Embora silencioso, um abraço pode transmitir a seguinte mensagem a quem recebe: “eu estou aqui e eu estou contigo” e por vezes, isso é tudo o que alguém precisa sentir após um dia tenso e corrido.

Especialmente a mulher, quando não recebe afeto e quando não é tocada, ela torna-se embrutecida, que nada mais é que um ressentimento que vai cristalizando na alma dela. Uma mulher que não é tratada com doçura pelo parceiro, tende a ficar ríspida e murcha, ela vai perdendo o viço, como uma planta que nunca recebe água, nem adubo. Os homens também, embora sejam mais “práticos” valorizam muito essa conexão física. A questão é muito delicada, se analisarmos que os cônjuges só tem um ao outro para essa troca de contato corporal, e eles não recebem isso, como fica o emocional deles?

De cara a amargura se instala e, junto com ela, uma vulnerabilidade nesse casamento. Afinal, como uma pessoa que gosta tanto de carinho vai viver sem? Puxa vida, um abraço não custa dinheiro, então, qual a dificuldade que uma pessoa tem em aconchegar o parceiro em seus braços? Por que tanta economia de beijos, de sorrisos e de carinhos para alguém que divide a vida contigo?

Seu cônjuge precisa disso quando está cansado, quando está triste, quando está tenso, quando está assustado e quando está feliz também. Ofertar carinho e afeto ao seu cônjuge é o melhor investimento para o seu casamento, o retorno é garantido. Deixe um pouco o celular de lado e dedique-se mais ao seu amor, olhe mais nos olhos, ofereça seu colo, elogie, sorria com mais frequência para ele(a), demonstre sempre a sua gratidão pelas qualidades dele(a).
Dessa forma, seu parceiro estará contigo por opção, por estar feliz e então vocês estarão vivendo um casamento de verdade, não uma casamento de aparências, daqueles que se baseiam em dois seres amargurados se suportando. Hoje é dia de você encher o seu amor de carinho…oferte sem moderação. Gratidão…até a próxima.

Imagem de capa: YAKOBCHUK VIACHESLAV/shutterstock

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Sou uma mulher apaixonada por tudo o que seja relacionado ao universo da literatura, poesia e psicologia. Escrevo por qualquer motivo: amor, tristeza, entusiasmo, tédio etc. A escrita é minha porta voz mais fiel.


COMENTÁRIOS