Cartas de gratidão a Deus

S.P., 25 de dezembro de 2015

Deus,

Sou uma dessas pessoas que reclama, exaustivamente, de tudo e de todos o tempo todo. Sim, queixo-me de tudo…Hoje, queria fazer algo diferente. Parece clichê, né? É que precisa te agradecer, do meu jeito torto.
Sabe, Deus, uma vez peguei carona com um dos meus cunhados e me surpreendeu a compreensão que ele tinha sobre a minha irmã. Ele a descreveu como eu a conhece. Simplesmente disse: Sua irmã reclama, mas tem um coração enorme e se preocupada com todo mundo. É assim que eu a vejo. Como uma pessoa de coração grande! Fiquei feliz com o que ele disse. Reconheci que ele a amava. Acho que precisava agradecer por eles!
Obrigada.

Eu amo muito essa minha irmã! Aliás, amo todas elas. É que essa é especial. Ela é uma grande amiga e reza muito por mim. Talvez eu precise muito de orações….
Obrigada, Deus, Todo-poderoso, senhor do Universo ou Divindade. Não sei como te chamar. Mas precisava agradecer por tanta amizade e amor. Inclusive, queria que você soubesse que foi graças a ela e ao meu cunhado que convivi com meus sobrinhos. Apesar de todo o trabalho (tem dias que é difícil), agradeço por todos os momentos que vivi ao lado deles. Cada gracinha, cada malcriação marcaram a minha vida.

Tenho outros cunhados também! Agradeço, em especial, a esse outro pela alegria que trouxe à minha família quando se unia a essa outra irmã. Agradeço o carinho, o cuidado de irmão e as risadas. Foram tantas! Gratidão.

Minha irmã, aquela que é casada com ele, é muito calma. Agradeço, Deus, por ela e pelas duas filhas que tem. Agradeço o cuidado, as conversas, os conselhos e os momentos que compartilhamos, principalmente na praia.

Sabe, as vezes penso que são os momentos bons fazem que fazem a vida valer a pena. Obrigada. Gratidão pelas sobrinhas Alice e Helena que trouxeram flores e alegrias para a vida de cada um de nós.

São quatro irmãs. Preciso que você tenha paciência. Inclusive, a outra irmã, eu amo muito também. Sempre vou lembrar dela usando tênis e de cabelo enroladinho. Minha mãe brigava muito com essa guria. Eu a observava de longe e sentia uma profunda compaixão. Ela me comovia. Obrigada, Deus, porque eu acho que você, como meu amigo que é, permitiu que eu tivesse longas conversas, trocasse conselhos, desse risadas e até brigasse com ela. Gratidão.

Minha última irmã também é especial. Eu irei defendê-la sempre, até quando estiver errada. Será sempre a irmã que tem medo de lagartixa e que me escuta, incansavelmente, 70 vezes 7 se for preciso. Sim, eu agradeço de novo, Deus. Obrigada pela amizade e pelo amor. Obrigada também por esse último cunhado, que eu amo por tabela, exclusivamente porque a faz feliz.

Por último, serei grata ao meu pai e minha mãe. Aos dois, porque souberam me amar em momentos que eu não me amava, tiveram paciência quando eu não me suportava e nunca desistiram de mim, quando eu já tinha desistido.

Sinto muito, Deus, pelas vezes que eu não correspondi a altura desse amor tão genuíno, pelas vezes que faltou paciência e reconhecimento. Sinto muito pelos momentos que culpei os dois pelos meus erros ou indecisões, pelos momentos que frustrei expectativas e falhei.

Sei que ainda continuarei falhando, mas meu coração sente uma profunda gratidão por compartilhar esses momentos com todos.
Eu só queria dar boa noite e dizer que sigo feliz em mais um Natal!

COMPARTILHE
Michelle Jardim
Jornalista, locutora e atriz. Ouvinte profissional e amante de boa música, boas risadas e boa companhia. Tem como objetivo de vida a felicidade, acredita nas pessoas e na certeza de um fim certo: a morte. A única promessa para o futuro é o envolvimento em experiências que valem a pena. É atriz e locutora exclusivamente por amor. Jornalista por missão.



COMENTÁRIOS