Carrego o mundo nas costas e ninguém reconhece

“Faço tudo por tal pessoa, penso nela primeiro do que em mim, carrego o mundo nas costas, e, em troca, recebo maus-tratos e ingratidão.”

Sempre que ouço isso, lembro de quando viajava muito a trabalho e ao sentar no avião eu ouvia: “Em caso de despressurização do ar, máscaras de oxigênio cairão à sua frente, coloque-a sobre sua boca e nariz para só então auxiliar crianças, idosos e quem necessitar”.

Pela minha natureza empática e pelo meu vício de “cuidar dos outros primeiro”, ficava inconformada com tamanho egoísmo. Como deixar uma criança ou um ser amado morrendo ao seu lado enquanto você cuida do seu próprio bem estar primeiro?

Com essa minha inquietação, eu tocava a vida seguindo as instruções de voo, sem jamais entender que eram instruções a serem seguidas também em terra firme, na vida prática.

Quando “a ficha caiu” já tinha experimentado um número sem fim de frustrações e ingratidão. A vida não funcionava bem, simplesmente não engrenava nada. Eu me doava e me desdobrava e não recebia nem um mísero “valeu aí”.

Um dia, desolada com uma enésima frustração, me sentei num voo para “esquecer a minha doação não reconhecida” e foi bem ali, ao ouvir as instruções de voo, que concluí que para sobreviver em todos os aspectos da vida é preciso usar o que chamei de:

TEORIA DO AR DESPRESSURIZADO

É bem simples. Num ambiente onde há despressurização do ar, a falta de oxigênio leva o ser humano a perder os sentidos rapidamente, cessando em seguida suas funções cerebrais. Ou seja, ao se deparar com uma situação de emergência em pleno voo, se você não colocar sua máscara rapidamente, morrerá e morto, não poderá ajudar as pessoas que são necessitadas, levando-as também, à morte.

Assim funciona nas relações interpessoais em pleno voo da vida. Ao esquecer-se de si para alimentar primeiro a necessidade do outro, você deixa de suprir-se da energia vital necessária para continuar vivo de modo a poder dar ao outro aquilo que já se deu.

Portanto, passageiros e passageiras desse lindo voo chamado vida, quando acharem que estão “carregando o mundo nas costas, dando mais do que recebendo e cuidando primeiro dos outros”, fazendo com que lhe falte o mínimo de energia necessária para manter seu próprio sorriso no rosto, lembrem-se da “teoria do ar despressurizado” e coloquem imediatamente sua máscara de oxigênio. RESPIRE pela boca e pelo nariz, sinta-se FORTE e CONSCIENTE, de modo a ter condições para preservar a vida e a alegria de pessoas importantes: VOCÊ e as pessoas que você ama.

 

COMPARTILHE
Lucy Rocha
Advogada, personal coach e fascinada pelo estudo de transtornos de personalidade, administra a página Relações Tóxicas, na qual dá dicas e apoio a pessoas que vivem, viveram ou sobreviveram a uma relação abusiva. Seu maior prazer é escrever reflexões sobre a vida e sobre o ser humano.



COMENTÁRIOS