Me apaixonar não é difícil, juro. Mas amar? Por enquanto, deixa pra lá

Imagem de capa: Nejron Photo, Shutterstock

Até sinto falta do amor. De ter o corpo inundado por esse prazer constante e não efêmero, cheio de presentes bem-vindos. O único problema é que, ultimamente, tenho acenado para o lado contrário. Tenho umas paixões aqui e ali, não sinto vergonha de assumi-las. Isso nem é uma grande dificuldade, no momento. Mas amar? Por enquanto, deixa pra lá.

Talvez você não acredite, mas eu me esforço para ser diferente. Perdi sei lá quantas noites pensando, amanhã será um novo dia. Não foi. Amores chegaram e não ficaram mais do que alguns meses. Alguns eram legais, confesso. Acontece que estava mentindo para a pessoa errada. Sim, eu sei que é clichê, mas o problema não era eles. Sendo justa, eu sou o paradoxo do amor. Minha autoestima não está baixa, não se preocupe. Também não resolvi chorar pitangas e declamar um vitimismo amoroso. No fundo, desconfio que é só cansaço.

Ando exausta de amar, sabe? Foram tantas tentativas, tantos recomeços e, no fim, o que sobrou? A minha desenvoltura entrelaçada nos lençóis, sozinha, em sextas e sábados. Eu, meias velhas, um punhado de filmes e várias desculpas para os convites recebidos. Agora, você deve estar pensando que sofro de um caso sério de pé na bunda. Olha, antes fosse. Faz até bem levar um, algumas vezes. Mas, novamente, não é o x da questão.

A grande problemática aqui, de verdade, é que já não sinto muita coisa. Já não lembro da última vez que sequer, disse ter amado. Não decidi colocar uma proteção impenetrável contra o amor, mas reconheço que algo me impede de seguir. Se desapegos, ausências ou algo mais, não sei dizer. O que posso dizer é que faz um bom tempo desde aquele comichão no estômago. E não pense você sobre essas coisas serem controladas, medidas. Quisera eu terem sido. Assim, poderia chegar e destrancar tudo para sentir de novo. Mas também não é nada parecido, droga.

Enfim, vou indo. Desculpe não poder ficar mais e conversar. Queria permanecer, mas estão me chamando para um café. Sim, até pensei em lançar mais uma desculpa mas, dessa vez, tenho certeza que será diferente. Ou não, vai saber? Enquanto isso, faço juras durante alguns encontros. De repente, a sorte do amor aparece na hora marcada, sem atrasos.

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS





Guilherme Moreira Jr.
"Cidadão do mundo com raízes no Rio de Janeiro"

COMENTÁRIOS