Aos professores sobreviventes

Hoje, 15 de outubro, é Dia do Professor e sabemos que homenagens vãs cansam e incomodam. Quando a matéria é Educação, na maioria das vezes, não há o que se comemorar.

Nossos filhos são passarinhos coloridos que nascem e são engaiolados para que suas asas se atrofiem lentamente. Não voam mais em suas casas, não voam em suas brincadeiras e os pais não estão mais por trás para segurá-los ou empurrar suas bicicletas. Quando caem, a queda é fria e faltam braços para estimular seus próximos passos e tentativas. Falta educação, falta beleza na educação, falta encanto e falta afeto. Faltam também educados e educadores, mas há sobreviventes.

Assim, embora a data mereça comemoração, não é todo e qualquer professor que merece os nossos cumprimentos. Cumprimentamos, aqui, aqueles professores que estimulam a reabilitação das asas atrofiadas de nossas crianças. Aqueles que, sejam eles quem forem, tenham eles títulos ou não, se dediquem a  perpetuar a esperança dos seres em formação. Estes, sim, são professores de verdade.

Ler é fácil, difícil é saber o que escrever numa folha em branco.

Professor de verdade é aquele que consegue sobreviver às regras da escola tradicional e mostra ao aluno que educação não é algo a que se obrigue, que valoriza mais o acerto do que o erro do aluno e que, mais do que quantidade de conteúdo, ensina que para se viver é necessário que se aprenda a olhar, independente da direção escolhida…

Reproduzir conteúdo é fácil, difícil é humanizar.

Professor de verdade é aquele que ensina pelo exemplo, superando-se em face de seus  próprios erros. Provavelmente quando o lado mais fraco aparece é que as maiores lições podem ser tiradas. É aquele que disciplina a rotina ao mesmo tempo que indisciplina a alma do aluno, levando-o sempre ao questionamento.

Professor de verdade é aquele que ama o conhecimento, porém, mais do que a cultura, ama o ser humano que por ela deverá ser seduzido. Num tempo em que as regras e o respeito não são comportamentos esperados, é necessário descontruir barreiras, implodir redomas de autodefesa de quem tantas vezes nem aprendeu a receber afeto de forma construtiva.

Bem sabemos que amar não é fácil, mas que o futuro só é possível se a humanidade puder valer-se de professores que amam.

A vocês, a nossa homenagem: aos professores que amam.

COMPARTILHE

RECOMENDAMOS



Josie Conti
Influenciadora digital. É idealizadora, adminstradora e porta-voz do site CONTI outra. Sua empresa ainda faz a gestão de sites como A Soma de Todos os Afetos e Psicologias do Brasil. Possui mais de 10 milhões de usuários fidelizados entre seus seguidores diretos e seguidores dos sites clientes. Psicóloga formada há mais de 15 anos, teve sua trajetória profissional passando por diversas áreas de formação e atuação como educação, clínica, recursos humanos e saúde do trabalhador. Hoje, utiliza o conhecimento adquirido para seleção de pessoal e de material adequado aos sites, realiza vídeos, palestras, dá entrevistas e escreve para diversos canais digitais. Seu trabalho na internet tornou-se referência tanto pela expressividade quanto pela qualidade. Em 2017, foi convidada para falar sobre conteúdo de qualidade no evento “Afiliados Brasil” de São Paulo, à convite da Uol, pois o CONTI outra foi considerado um dos melhores sites de conteúdo ligados a empresa.

COMENTÁRIOS